ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Minas Gerais

"É como se fosse da família": técnicos do ATeG contam como produtores adotaram não só as orientações, mas também os profissionais

12 de janeiro 2021
Por Senar

As visitas dos técnicos de campo do Programa de Assistência Técnica e Gerencial – ATeG aos produtores geram mais do que aumento de produtividade e lucratividade. Literalmente entrando na vida das pessoas ao longo de dois, quatro anos - às vezes, em ainda menos tempo -, formam-se laços de verdadeira amizade.

“O sucesso do Programa ATeG está condicionado a uma relação de confiança que deverá ser estabelecida entre o técnico de campo, supervisor e o produtor rural participante. Após a conquista dessa confiança, os bons resultados passam a ser consequência”, comenta o superintendente do SENAR MINAS, Christiano Nascif. Para o Sistema FAEMG, o êxito da assistência técnica e gerencial é uma das formas, direta e contínua, do produtor rural mineiro reconhecer e valorizar as ações da entidade.

O fim de ano é época de fechamento de indicadores e de renovação de contratos dos interessados em seguir prestando serviços como técnicos ou supervisores. Junto com o “sim” ou “não”, alguns destes profissionais compartilharam histórias de carinho que mostram que, com um elo forte entre profissional e assistido, até os resultados na lida ganham mais viço. Conheça:

Sebastião Brinate - engenheiro agrônomo, doutor em Produção Vegetal, há quatro anos atuando como técnico do ATeG Café:

“Hoje sou recebido como um membro da família em praticamente todos os produtores. Isso é tão real que nos emocionamos em nossa última visita, mas em momento algum nos despedimos, pois sabemos que construímos ali um laço de amizade que será para sempre e que vamos nos rever em breve. Várias foram as histórias de amizade e gratidão, recebi presentes que são muito importantes e que guardarei a sete chaves, para sempre me lembrar. Quando iniciamos no ATeG, no final de 2016, com poucos meses de convivência aprendi uma importante lição: antes de fazer qualquer planejamento ou sugestão, era necessário conhecer a história do produtor e de sua família, entender suas dificuldades e quais as possibilidades de desenvolver nosso trabalho da melhor forma. Nossos produtores são verdadeiros heróis, lutando com muita dificuldade para sustentar suas famílias e produzir, mesmo quando vários fatores atuam de forma não muito favorável. Diante disso, o fato de nós, técnicos, termos chegado para estender a mão e auxiliá-los proporcionou uma relação de amizade, de afeto, de familiaridade.”