Logo CNA

Paraná

Curso de inseminação artificial auxilia produtora de leite
Curso inseminacao abre

Jessica Klauss, de Santa Izabel do Oeste, no Sudoeste do Paraná, resolveu fazer um curso para driblar a falta de médicos veterinários para atendimento e evitar prejuízos

25 de abril 2023

A produtora Jessica Klauss vinha enfrentando problemas de mão de obra na propriedade leiteira que administra em Santa Izabel do Oeste, no Sudoeste do Paraná. A falta de médicos veterinários para atendimento estava atrasando a recria das vacas e causando prejuízos financeiros. A produtora, então, decidiu se inscrever no curso de Inseminação Artificial do SENAR-PR.

“Foram várias situações que a gente marcava e não tinha veterinário para nos atender, ou ele atrasava. Com isso, o período adequado passava e a vaca não segurava a cria. Foi bem complicado”, comenta Jessica. “Como eu já tinha o material para inseminação, às vezes até arriscava para não perder o cio da vaca, mas era bem difícil sem a orientação de um profissional”, conta.

Após o curso, em outubro de 2022, a realidade da propriedade mudou. A produtora começou a colocar os conhecimentos em prática e, da quarta tentativa em diante, os resultados foram surpreendentes. Das 21 vacas inseminadas, 11 já tiveram a prenhez confirmada. “Entre essas vacas, algumas precisei fazer a inseminação mais de uma vez, mas a maioria consegui de primeira. A gente fica até emocionado, porque não pensei que num período tão curto iria dar tão certo”, afirma Jessica.

Na avaliação da produtora, a qualidade do curso do SENAR-PR e o acompanhamento do instrutor durante as aulas práticas foram fundamentais para esse sucesso. Além disso, Jessica participou de uma turma composta apenas por mulheres – uma ação em homenagem ao Outubro Rosa –, o que ela acredita também ter ajudado no aprendizado.

“A gente se sente mais à vontade para dialogar com outras mulheres, compartilhando experiências e tirando dúvidas. Fora que o curso é excelente, pois aprender a inseminar envolve técnicas, escolha do touro, vantagens e desvantagens, uma série de assuntos importantes para melhorar a genética do rebanho”, resume.

Uma das vantagens de fazer a inseminação do próprio rebanho, segundo a produtora, é que o animal já está acostumado com sua presença e seu cheiro, o que reduz o estresse e aumenta as chances de prenhez.

Essa é a segunda capacitação do SENAR-PR em bovinocultura de leite que Jessica participa. Antes, ela concluiu o curso de Manejo e Ordenha, pré-requisito para a capacitação envolvendo inseminação artificial. Para a produtora, que aprendeu a lida no dia a dia da propriedade, ter conhecimento técnico e especializado ajuda a melhorar a qualidade do rebanho.

“A questão do manejo das bezerras foi muito importante. Eu já tive bastante perda, principalmente porque a gente fazia o desmame e a separação da forma errada. São detalhes que fazem a diferença”, pontua. “Cada novilha que nasce é uma conquista, então precisamos cuidar bem”, complementa.

Serviço

O curso “Inseminação artificial de bovinos” é voltado para produtores de gado de corte ou de leite. A capacitação inclui temas como eficiência técnica, cuidados sanitários, registros detalhados, bem-estar animal, escolha dos materiais, avaliação da vaca e escolha do sêmen, além de abordar de forma prática o passo a passo da técnica.

Um dos pré-requisitos é a aprovação em um dos seguintes cursos do SENAR-PR: “Manejo de bovinos de corte”, “Manejo e casqueamento de bovinos de corte”, “Manejo de gado de leite”, “Manejo de gado de leite para funcionários” ou “Manejo e ordenha”.

Todos os cursos do SENAR-PR são gratuitos e com entrega de certificado. Para se inscrever, basta acessar o site sistemafaep.org.br , na seção Cursos SENAR-PR.