Pecuária de Corte

A CNA trabalha para fortalecer à atividade de bovinocultura de corte, aumentar a rentabilidade do produtor, promover internacionalmente o agronegócio brasileiro e ampliar o acesso a mercados. Na estrutura da CNA, a Comissão Nacional de Pecuária de Corte coordena as ações relacionadas à essa atividade, representando os produtores e promovendo articulações junto ao executivo, legislativo e demais órgãos relacionados ao setor. Além disso, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) fomenta a capacitação e presta assistência técnica e gerencial na propriedade rural. Explore os temas relacionados à bovinocultura de corte e veja o que o Sistema CNA está fazendo pelo produtor rural.

A CNA trabalha para fortalecer à atividade de bovinocultura de corte, aumentar a rentabilidade do produtor, promover internacionalmente o agronegócio brasileiro e ampliar o acesso a mercados. Na estrutura da CNA, a Comissão Nacional de Pecuária de Corte coordena as ações relacionadas à essa atividade, representando os produtores e promovendo articulações junto ao executivo, legislativo e demais órgãos relacionados ao setor. Além disso, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) fomenta a capacitação e presta assistência técnica e gerencial na propriedade rural. Explore os temas relacionados à bovinocultura de corte e veja o que o Sistema CNA está fazendo pelo produtor rural.

Comissão Nacional de Pecuária de Corte

Relato das ações da Comissão

  • Atuação no âmbito sanitário, trabalhando medidas que melhorem a classificação do Brasil em relação a febre aftosa junto a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE);
  • Contribuição no desenvolvimento da Plataforma de Gestão Agropecuária (PGA) e acompanhamento dos protocolos de adesão voluntária;
  • Promoção de discussões técnicas sobre Tipificação e Classificação de Carcaças;
  • Acompanhamento da composição e variação dos custos de produção da pecuária de corte por meio do Projeto Campo Futuro da CNA;
  • Elaboração de propostas de políticas públicas para o setor;
  • Atuação junto ao legislativo em defesa de projetos que favoreçam o setor;
  • Atuação junto ao SENAR com intuito de melhor a capacitação e a assistência técnica dos produtores de gado de corte;
  • Ações de promoção comercial da carne bovina brasileira;

Resultados Alcançados

  • Revogação da IN 13/2014 do Ministério da Agricultura, que proibia a utilização de avermectinas de longa duração;
  • Publicação da IN nº 6, de 20/3/2014, que aprova os procedimentos de homologação, a estrutura básica e os requisitos mínimos do manual de procedimentos dos protocolos de sistemas de rastreabilidade de adesão voluntária da cadeia produtiva de carne de bovinos e de búfalos;
  • Aprovação das linhas de financiamento de custeio para aquisição de bovinos em confinamento e investimento para aquisição de matrizes e reprodutores bovinos.
  • Elaboração de estudo sobre o Abate Bovino no Brasil, coordenado pelo Cepea/Esalq-USP.
  • Ampliação da área livre de febre aftosa e reconhecimento, por parte da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), da parte centro-norte do Estado do Pará e mais 7 estados como zona livre de febre aftosa com vacinação (AL, PE, PB, RN, CE, PI e MA).
  • Reconhecimento como País livre de Febre Aftosa, com vacinação, pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE)
  • Retirada do imposto de exportação do Couro Wet-blue

Membros

Representação Representante Federação UF
Presidente Presidente - Antônio Pitangui de Salvo CNA DF
Vice presidente Vice-presidente - Francisco Olavo Pugliese De Castro FAMATO MT
CNA CNA - Lilian Azevedo Figueiredo CNA DF
Membro CNA - Ricardo Ramos de Mello Nissen CNA DF
Membro Antonio Marcos Pagani De Souza FAESC sc
Membro Antônio Carnaúba Brandão FAEAL AL
Membro Antonio Marcos Pagani De Souza FAESC sc
Membro Bento Mineiro SRB -
Membro Christiane De Paula Rossi FAEG GO
Membro Denio Augusto Leite Santos FAESE se
Membro Gedeão Silveira Pereira FARSUL RS
Membro Ivan Apostolo Sobral FAESE se
Membro João Oliveira Gouveia Neto FAMATO MT
Membro João Oliveira Gouveia Neto FAMATO MT
Membro José Roberto Pires Weber ANGUS -
Membro Luiz Augusto Ribeiro Do Valle FAEAC AC
Membro Luiz Iraçú Guimarães Colares FAEAP AP
Membro Maurício Negreiros Velloso FAEG GO
Membro Nabih Amin El Aouar FAES ES
Membro Paulo Leite Mendonça FAEAP AP
Membro Rodolfo Tavares FAERJ RJ
Membro Rodolpho Luiz Werneck Botelho FAEP PR
Membro Victor Paulo Silva Miranda FAES ES
Membro André Ribeiro Bartocci FAMASUL MS
Membro Bruno De Jesus Andrade ASSOCON -
Membro Domingos De Lelis Filho FAEPA PB
Membro Julio Cezar Ferraz Rocha ACRIMAT -
Membro José Zeferino Pedrozo FAESC sc
Membro Lucimara Chiari Embrapa Gado de Corte -
Membro Marco Garcia De Souza FAMASUL MS
Membro Mucio Monteiro Da Silva FAEPA PB
Membro Romeu Gazinelli Neto FAEB BA
Membro Cyro Ferreira Penna Junior FAESP SP
Membro Ricardo Barbosa ABREAV -
Membro Francisco Vila SRB -
Membro Paulo Sérgio Mustefaga ABC -
Membro Wallisson Lara Fonseca FAEMG MG
Membro Patrick Alves da Rocha FAESP SP
Membro Murilo Pombo Tocantins FAEPA (PA) PA
Membro Mauro Lucio Castro Costa ACRIPARA -
Membro Mateus Pivato ANGUS -
Membro Marcelo Ricardo Toledo ABCZ -
Membro Arnobio Silva Queiroz FAET TO
Membro Gil Pereira ABCZ -
Membro José Hilton Coelho De Souza FAEMA MA
Membro Luiz Alberto Moreira Ferreira ABC -
Membro Noel Montenegro Loureiro FAEAL AL
Membro Ronaldo Bartholomeu dos Santos Jr FAERJ RJ
Membro Antônio Rodrigo Bites Montezuma CFMV -
Membro Carlos Alberto de Oliveira Quaresma FAPEDF DF
Membro Eder Ferreira Resende FAEB BA
Membro Guilherme Cunha Malafaia EMBRAPA GADO DE CORTE -
Membro Kepler Euclides Filho EMBRAPA GADO DE CORTE -
Membro Eduardo Cavalcanti Eichenberg ABHB -
Membro Marcelo Cordeiro FAEAC -
Membro Orlando Cláudio G. S. Procópio FAERN RN
Membro Ademir Cenci ABHB -
Membro Carlos Roberto Simm Farsul RS
Membro Eduardo de Paula Macedo FAERN RN
Membro Ivaldeci Rolim de Mendonça Júnior FAEMA MA
Membro Lígia Franco de Medeiros Buso FAEP PR
Membro Francisco Cavalcanti de Almeida CFMV -
Membro Márcia Cristina Zahluth Centeno FAEPA (PA) PA
Membro Amarildo Merotti ACRIMAT -
Membro Fabrício Ramos Vasconcelos FAET TO
Membro André Luis Locateli ACNB -
Membro Maurício Pompéia Fraga Filho ACRIPARA -
Membro Muni Lourenço Silva Junior FAEA AM
Membro Adriano Varela Galvão FAPEDF DF
Membro Paulo Vicente Costa CNA DF
Membro Daniella Soares de Almeida Bueno ACRIMAT -
Membro Orlando PimPim Lima CFMV -
Membro Weber Bernardes de Andrade FAEMG MG
Membro Francisco De Sales Manzi ACRIMAT -
Membro José Eduardo de França CFMV -

Participação em fóruns, Câmara Setorial ou Grupos de Trabalho

Participação em fóruns, Câmara Setorial ou Grupos de Trabalho

2019 – 1º semestre

Modernização da defesa agropecuária brasileira

A CNA tem participado de diversos grupos e comitês vinculados à Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa, com o objetivo de modernizar a defesa agropecuária brasileira. As iniciativas em andamento são:

  1. Assinatura de um acordo de cooperação técnica com o Mapa e a Confederação Nacional da Indústria (CNI) para fazer um levantamento do conjunto de normas regulatórias de defesa agropecuária. O objetivo é identificar os atos normativos e analisar o que pode ser atualizado na área de sanidade para facilitar o acompanhamento da edição de normas. O conjunto de leis e decretos que regulamentam as atividades de defesa agropecuária, que conta hoje com 60 mil atos normativos, são antigos e muitos deles se sobrepõem ou se confundem.
  2. Participação no Grupo Técnico de Programas de Autocontrole, com o objetivo de promover a articulação de órgãos e entidades públicas e privadas para implementar programas de autocontrole a serem aplicados nos estabelecimentos regulados pela legislação da defesa agropecuária do país. A CNA está contribuindo com as propostas para implementação, monitoramento e avaliação dos programas de autocontrole, além da identificação de atos normativos necessários para implementação de seus objetivos.
  3. Participação no Comitê do Cliente, contribuindo com a análise de processos que possam desburocratizar e harmonizar normas regulatórias de defesa agropecuária. O Comitê trabalhará, primeiramente, na criação de protocolo de exportação de material genético.

Reestruturação da proposta que trata de classificação e tipificação de carcaça

A CNA discutiu com o Ministério da Agricultura a nova proposta de Instrução Normativa que irá regularizar a tipificação dos cortes de bovinos. A proposta elaborada pela CNA está sendo reestruturada, conforme orientação do DIPOA/MAPA. Na visão do departamento, a Instrução Normativa deve conter todas as diretrizes de classificação de carcaças e cortes, assim como definição de modelos de avaliação e transparência de processo.

Plano Nacional de Erradicação de Febre Aftosa (PNEFA)

A CNA defende a revisão do calendário de retirada de febre aftosa conforme a evolução do programa. Após as apresentações dos blocos III e IV, ficou nítida a falta de capacidade dos serviços veterinários estaduais de atuarem e trazerem a segurança necessária do processo.

Além disso, a CNA está auxiliando os estados em suas ações específicas, como a aproximação do Distrito Federal ao Fundo para desenvolvimento do estado do Goiás – FUNDEPEC – GO, que trará a possibilidade do produtor rural do DF se associar a um fundo emergencial robusto, trazendo maior segurança aos produtores, e também a coordenação do programa de Educação Sanitária e Comunicação em Saúde atendendo ao estado de Roraima.

Memorando de entendimento sobre os embargos ambientais e TACs

A CNA assinou, junto aos representantes dos frigoríficos, ABIEC e Abrafrigo, e com anuência do Ministério Público, o memorando de entendimento a respeito dos embargos ambientais.

Esse documento reconhece a possibilidade do produtor rural emitir laudo simples, se responsabilizando pela venda de animais de áreas não embargadas. Dessa forma, produtores que possuem áreas parcialmente embargadas em seu CPF, ou possuem uma propriedade embargada e as demais não, poderão retornar a lista de fornecedores dos frigoríficos.

Manutenção da exportação de gado vivo

A CNA defende a alteração da Instrução Normativa nº46/2018 do MAPA, para que traga maior segurança jurídica ao produtor rural. A definição clara de jornada e de transporte é essencial para que a instrução normativa não gere passivos jurídicos.

Além disso, tem defendido o arquivamento, de modo definitivo, do PL 357/2018 ao Senador Osmar Aziz, que propõe proibir a exportação de animais para abate alegando danos ao meio ambiente, ao bem-estar animal e redução de empregos no mercado interno.

Pesquisa de percepção do consumidor de carne bovina

A CNA apresentou aos membros do Programa Carne Brasil os resultados da pesquisa do Datafolha a respeito da percepção do consumidor de carne bovina. Foram discutidas as estratégias de atuação do grupo, ficando a cargo da CNA encontrar parceiros para financiar e direcionar as ações de publicidade.

Participações

  • CÂMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DE CARNE BOVINA (MAPA)
  • COMISSÃO TÉCNICA CONSULTIVA DO SISTEMA DE IDENTIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE BOVINOS E BUBALINOS (CTC – SISBOV)
  • COMISSÃO TÉCNICA DA PRODUÇÃO INTEGRADA DA CARNE BOVINA AGROPECUÁRIA (MAPA)
  • COMISSÃO TÉCNICA PARA ESTUDOS E PROPOSIÇÃO DE NORMA TÉCNICA ESPECÍFICA DE BOAS PRÁTICAS AGROPECUÁRIAS PARA BOVINOS E BUBALINOS DE CORTE (MAPA)
  • COMITÊ TÉCNICO CONSULTIVO DO SERVIÇO BRASILEIRO DE RASTREABILIDADE DE BOVINOS E BUBALINOS (MAPA)
  • GRUPO DE TRABALHO DE PECUÁRIA DE CORTE E DE PECUÁRIA DE LEITE (MAPA)
  • GRUPO TÉCNICO DE RESÍDUOS DE MEDICAMENTOS VETERINÁRIOS DO COMITÊ DO CODEX ALIMENTARIUS DO BRASIL (MAPA)

Notícias

Vídeos