ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Mato Grosso

Piscicultores e pecuaristas recebem assistência técnica na região oeste de Mato Grosso
12072021102937

suporte aos produtores é realizado por meio da visita mensal de um técnico de campo, que acompanha os resultados e sugere soluções

13 de julho 2021
Por Senar

Piscicultores da região oeste de Mato Grosso estão recebendo assistência técnica gratuita na área. Desenvolvido pela Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Senar-MT, o suporte aos produtores é realizado por meio da visita mensal de um técnico de campo, que acompanha os resultados e sugere soluções.

 Em Nova Lacerda, Carlos Maia está na segunda safra de piscicultura. Pecuarista de gado de corte, agora ele administra a propriedade com as duas cadeias produtivas. Já teve a sua terceira visita pela ATeG e está na expectativa de dobrar seus resultados. "Na última safra, somente tínhamos um tanque e conseguimos 22 mil kg de pescado. Agora construímos um segundo tanque e somado à assistência que estamos recebendo, esperamos alcançar os 45mil kg".

 De acordo com o biólogo e técnico de campo, Valmir Siqueira, um dos principais gargalos dos piscicultores é o alimento que interfere na qualidade da água, consequentemente na produção. "Esse é um dos maiores problemas da piscicultura, por isso, é importante que o produtor rural receba uma assistência para superar os desafios da área".

 Até o início do segundo semestre de 2021, 30 propriedades eram atendidas pela ATeG nos municípios de Conquista D’oeste e Nova Lacerda, pela cadeia produtiva da piscicultura. O objetivo para os próximos meses é analisar o atendimento a outras cadeias produtivas como a bovinocultura de leite. 

  Gado de leite –  Em outros municípios da região, o que predomina é a assistência técnica aos produtores de bovinocultura de leite. Em Comodoro, cerca de 26 propriedades estão sendo atendidas. Segundo o zootecnista Ransvagner da Silva Garcia, o objetivo é fornecer suporte aos produtores locais. "Ainda estamos na fase de diagnóstico, identificando pontos fracos e fortes. São nas falhas que iremos desenvolver um plano de ação para alcançar os objetivos do produtor".

De acordo com a mobilizadora do Sindicato Rural de Comodoro, Elirgiane Maria, a instituição está avaliando a viabilidade da assistência técnica em piscicultura. "Os produtores que tiverem interesse podem procurar o Sindicato para esclarecer dúvidas. Nossa meta é fechar uma turma com 15 piscicultores".