Mato Grosso

Irmãs participam de cursos do Senar-MT e colocam criatividade em seus produtos

4 de maio 2020
Por Senar
Irmãs participam de cursos do Senar-MT e colocam criatividade em seus produtos
Divulgação

SSA. Este é o nome de um grupo formado por três irmãs, moradoras de pequenas propriedades rurais, no município de Paranaíta, a cerca de 850 quilômetros de Cuiabá. As três irmãs se casaram com três irmãos e, assim, a família ficou ainda mais unida. Esta é mais uma história de sucesso que tem o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), que completa 27 anos, neste mês de abril, como parceiro.

Antes de fazerem os treinamentos ofertados pelo Sindicato Rural de Paranaíta, em parceria com o Senar-MT, as três já tinham suas criações na cozinha, mas com os cursos, elas aumentaram o número de produtos, melhoraram a qualidade e, consequentemente as vendas e a rentabilidade. Aparecida Jesus Cordeiro Pereira, o "A" do grupo, que é popularmente conhecida como Nena, conta que tudo começou quando foi convidada pela vizinha, com quem trabalhava, para um treinamento de reaproveitamento de alimento do Senar-MT.

Ela conta que fez o curso e gostou. "E foi assim que começou a nossa parceria com o Senar-MT. Em seguida, participei de outro treinamento para aprender a fazer conservas e, aos poucos, fomos incrementando o nosso trabalho e, atraindo cada vez mais a freguesia". 

Suzana de Jesus Cordeiro Pereira, um dos "S" do grupo SSA, diz que adora cozinhar. Ela conta que tudo é motivo para criar um novo produto. "Fomos ao shopping na cidade de Sorriso e eu vi o pessoal fazer o macarrão flambado. Como somos todas muito curiosas decidimos experimentar fazer e deu certo. Porém, isso não foi suficiente para nós e continuamos as experiências", destaca Suzana entusiasmada.

Sirlei de Jesus Cordeiro, o outro "S", que compõe o grupo SSA, acrescenta que o diferencial do produto delas é o amor e, principalmente o fato de serem capacitadas. As irmãs contam que foi Sirlei que criou o molho de galinha caipira, uma inovação para o macarrão flambado que vendem na feira, em Paranaíta.

Segundo Sirlei, o macarrão flambado é uma coisa comum. "Mas como sou uma pessoa inquieta, estou sempre pensando em criar". O resultado dos treinamentos do Senar-MT somado a inquietação e criatividade das três resultou nos mais variados produtos. "Um exemplo é o macarrão flambado. Temos cinco molhos e 16 recheios".

Além do macarrão flambado, as irmãs também vendem bolo de pote e os mais diversos tipos de caldo. O grupo também produz 5 mil pés de pepinos e mais 1400 de quiabo. "Produzimos para atender a nossa demanda e também vendemos para quem trabalha com conservas", conclui Sirlei.