ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Minas Gerais

Cozinha mineira será patrimônio imaterial do estado
COZINHA MINEIRA PATRIMONIO IMATERIAL CNA

24 de agosto 2021
Por CNA

Está cada vez mais próxima a consolidação do reconhecimento da “cozinha mineira” como patrimônio imaterial do estado. É a valorização dos saborosos pratos típicos, do frango com quiabo ao tropeiro, das quitandas, do queijo, de todas as delícias produzidas no estado e tão comuns nos ambientes rurais. A iniciativa faz parte do Plano Estadual da Gastronomia Mineira, liderado pelo governo de Minas, pela Secretaria de Estado da Cultura, e que tem a participação de 20 instituições, incluindo o Sistema FAEMG/SENAR/INAES.

Ontem, na retomada dos grupos de trabalho de estruturação e acompanhamento do Plano, foi apresentada a proposta de reconhecimento e registro da “cozinha mineira” como patrimônio imaterial, primeiramente, no Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA) e, em seguida, no Instituto Nacional (IPHAN). Para isto, serão feitos trabalhos de levantamento de inventário das práticas culturais e estabelecidos critérios para o melhor mapeamento das origens e características dos produtos e modos de fazer da tradicional comida mineira.

Equipe da Secretaria da Cultura apresentou a proposta e destacou a importância de as instituições integrantes do grupo contribuírem com as informações e trabalhos que desenvolvem, auxiliando no mapeamento e na divulgação. A produção gastronômica e eventos relacionados a ela estão no radar.

O “Plano Cozinha Mineira” integra o Programa Estadual de Desenvolvimento da Gastronomia Mineira (PEGM) foi lançado pelo governador Romeu Zema em 19 de fevereiro deste ano. Ele propõe a implantação de políticas públicas e privadas voltadas para a gastronomia mineira. São 72 iniciativas, que devem receber investimento estimado em R$ 163 milhões, para serem executadas de 2021 a 2024.

“A ação é muito importante, no sentido de afirmação e reconhecimento da nossa tradicional culinária. A partir daí, poderemos reforçar Minas Gerais como destino turístico. A iniciativa tem grande potencial para os produtores rurais, que poderão ter apoio em suas iniciativas na área turística e gastronômica. E é mais um marco na comemoração dos 300 anos do estado.”

Aline Veloso, gerente Técnica do Sistema FAEMG

Imagem ilustrativa / Crédito fotografia:  Wenderson Araujo/Trilux/CNA