ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Mato Grosso

Aliança Agroeconômica do Centro-Oeste apresenta resultados em evento do Imea
Whats App Image 2021 07 01 at 10 10 18

2 de julho 2021
Por CNA

O projeto visionário Aliança Agroeconômica do Centro-Oeste foi apresentado ao vivo para os participantes conectados na  live  comemorativa do 23º aniversário do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) esta semana (29/06). A transmissão completa do evento, que também trouxe os resultados da pesquisa "O perfil do agricultor mato-grossense na era digital", está disponível no canal do Imea no YouTube ( https://www.youtube.com/watch?v=C39f3YI1hd8 ).

A aliança é formada pelo Imea, Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) e pelo Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (IFAG). Trata-se de uma cooperação técnica firmada em 2018 entre essas entidades. É o primeiro projeto nacional que o Imea integrou.

A cada três meses são divulgados relatórios compostos por análises voltadas ao Centro-Oeste. São dados sobre exportações, impactos econômicos das principais cadeias do agro, mercado da pecuária, custo de produção, preços, entre outras informações.

Durante a live foram apresentadas informações sobre o agronegócio dos estados que compõem o Centro-Oeste brasileiro. A mediação ficou por conta da coordenadora técnica do Imea, Vanessa Gasch, e teve a participação do coordenador técnico do Ifag, Alexandro Santos, do gerente técnico da Famasul, José Pádua, e do assessor técnico da CNA, Thiago Rodrigues, que falou sobre o projeto "Campo Futuro" - responsável pelo levantamento dos custos de produção das principais regiões agropecuárias do país.

Com o objetivo de contribuir para a análise conjuntural e ampliar o entendimento do produtor rural e da sociedade sobre o papel do agro no processo de desenvolvimento econômico da região Centro-Oeste e do país foram apresentados os temas: mercado agropecuário em Goiás, uso e ocupação de solo em Mato Grosso do Sul e evolução da produção de soja e milho em Mato Grosso.

Vanessa destacou a análise de evolução da área, produção e produtividade de milho em Mato Grosso. Reflexo das condições climáticas em 2020, mais de 45% da área do milho foi semeada fora da janela ideal, o que impacta na produtividade. A estimativa de queda foi de 14%, passando de 109,0 sacas na safra 19/20 para 93,8 sacas na safra 20/21. Consequentemente, a produção foi afetada e registrou redução no ciclo 20/21, com estimativa de 32 milhões de toneladas, impactando nos preços do cereal no estado.

Segundo a coordenadora técnica, o mercado já está de olho na safra 21/22 de soja que ainda será semeada. A estimativa do Imea mostra uma área recorde de cerca de 10,8 milhões de hectares, incremento de aproximadamente 330 mil hectares comparado a safra 20/21. Se a produtividade se consolidar em 57,5 sacas por hectare, a produção será de 37,3 milhões de toneladas. "Vale ressaltar que tudo depende das condições climáticas do estado", reforçou Vanessa.

Goiás e Mato Grosso do Sul -  Em Goiás, tanto na cadeia agrícola como na pecuária, nos primeiros meses do ano de 2021 comparados com 2020 houve uma variação considerável nos custos de produção. Na pecuária goiana o custo com a ração, que é basicamente o farelo de soja, milho e outros derivados de grãos, cereais e oleaginosas, subiu mais de 100% para o pecuarista, impactando diretamente nos custos de produção. O estado também foi duramente afetado pelas chuvas, que impactaram na queda da produtividade de alguns produtos, entre eles o principal foi o milho.

O gerente técnico da Famasul, José Pádua, falou do estudo realizado anualmente sobre o uso e ocupação de solo em Mato Grosso do Sul. O trabalho é feito há 11 anos. O maior destaque foi a transformação das áreas de pastagem em áreas de grãos, como também de florestas plantadas, principalmente o eucalipto.

Muitos municípios que eram estritamente focados na pecuária estão sendo transformados em municípios agrícolas. Além disso, a área de floresta plantada saiu de 340 mil hectares para mais de 1,1 milhão de hectares em um período de 10 anos, especialmente nas cidades do leste do estado.

Em Mato Grosso do Sul a agricultura entrou no centro-sul do estado. Em um comparativo das 9 últimas safras houve um aumento tanto na produção como na produtividade das cadeias de soja e milho. Entre 2012/2013 e 2020/2021 houve aumento de 43,91% de área, 57,97% de produção e 9,77% de produtividade.

Para saber mais, acesse a live completa do Imea aqui: