ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Mato Grosso do Sul

Valor do quilo do ovino vivo pago ao produtor tem aumento médio de 6% em 2022
OVINOS web

Dados da Embrapa Caprinos e Ovinos comparam período de janeiro e outubro em relação ao ano anterior

21 de novembro 2022
Por Senar

Por: Vitor Ilis

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul

O preço médio pelo quilo do ovino vivo pago ao produtor rural de Mato Grosso do Sul teve um aumento de 5,98% entre janeiro e outubro de 2022. O índice, de acordo com a Embrapa Caprinos e Ovinos, apresenta comparativo em relação ao mesmo período do ano anterior.

O número de abates no período foi de 5 mil cabeças. No mês de outubro, 913 animais foram movimentados com finalidade de abate.

Segundo o Ministério da Economia, o Brasil exportou US$ 550 mil entre janeiro e outubro deste ano. O Valor é 26,67% maior em comparação com os 10 primeiros meses do ano passado.

ATeG – O Senar/MS por meio da Assistência Técnica e Gerencial contribui para a melhoria da gestão das propriedades rurais, aumentando a produtividade e promovendo sua sustentabilidade. A ATeG Ovinocultura atende 170 produtores de Mato Grosso do Sul, com abrangência de um rebanho de 5,2 mil ovinos.

Em 2021, os produtores assistidos com margem de lucro positiva, apresentaram um desembolso de 38,7%, sendo o maior em mão de obra, seguido por 36,7% em nutrição e 7,7% em sanidade. Essas propriedades apresentaram rebanho médio de 94 animais e comercializaram 1,5 toneladas no ano.

Já ovinocultores com margem de lucro negativa desembolsaram 31,69% com nutrição, 26,55% com mão de obra e 25,64% com compras de animais. Essas propriedades apresentaram rebanho médio de 68 animais e comercializaram 1,1 tonelada em 2021.

“A diferença na composição de custos dos produtores que apresentaram margem positiva e negativa foi definida pelo item aquisição de animais”, finaliza o coordenador técnico do Sistema Famasul, André Nunes.