ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Mato Grosso

Turismo rural se torna opção de renda para famílias do interior de Mato Grosso
23092020032708

O setor de turismo foi um dos grandes afetados pela pandemia da Covid-19 e os profissionais da área procuram capacitação para se reerguer

28 de setembro 2020
Por Senar

Nascida e criada no campo, Derzina Oliveira de Paula, 53, somente se deu conta do potencial turístico do sítio em que morava após realizar um curso de Turismo Rural. O conhecimento foi a chave para a mudança de vida e há três anos ela trocou o restaurante arrendado para abrir o seu próprio ponto turístico: um camping balneário em Chapada dos Guimarães.

"Não tinha ideia de que eu poderia sobreviver com aquilo que eu já possuía no sítio". Atualmente, o Camping Balneário da Deuza consiste em um restaurante de comidas regionais, café da manhã caipira, área verde e acesso a rio.

A criação de um balneário também foi a escolha de Maria Aparecida de Oliveira, 65, há 10 anos. A ex-líder rural também participou de capacitação em turismo rural, antes de decidir empreender no Balneário Lago Azul em Mirassol D’Oeste.

Apesar de não ter sido o principal motivador para a mudança de profissão, Maria acredita que os conhecimentos aprendidos nas formações auxiliam a atual rotina. "A gente aprende muito sobre como lidar com o cliente e como receber bem as pessoas. Eu fui para o ramo do empreendedorismo e alguns colegas de curso comercializam produtos artesanais até hoje".

De acordo com o turismólogo e instrutor credenciado junto ao Senar-MT, Adelaido de Azevedo, além das belezas naturais é possível realizar turismo apenas oferecendo as vivências do campo aos visitantes.

"Para os moradores é tudo tão normal que eles não percebem que podem melhorar a renda, fornecendo aos turistas os artesanatos confeccionados, os doces de frutas da região, fazendo um almoço com galinha caipira, entre outras atividades comuns para quem é do campo, não da cidade."

Expectativa pós-pandemia -  O setor de turismo foi um dos grandes afetados pela pandemia da Covid-19 e os profissionais da área procuram capacitação para se reerguer. Dentre eles está o estudante de biologia Lucas Ferreira, 23, que trabalha no Museu de História Natural de Alta Floresta. O atrativo está fechado por conta da pandemia e o profissional aproveitou o tempo para se capacitar em treinamento realizado nos dias 10 e 11 de setembro. "O município é muito forte no turismo de observação e a qualificação tem impacto positivo no meu currículo e no meu conhecimento".

Em Reserva do Cabaçal estavam previstos treinamentos em turismo rural para 2020, mas por conta das restrições ainda não há previsão de novas datas. A presidente do Sindicato Rural de Araputanga, Maria das Dores de Souza, mais conhecida como Dorinha, responsável pelo município vizinho - acredita que após a crise, o turismo seja retomado com força. "Por enquanto o setor está parado, mas a região tem potencial e a qualificação vai melhorar a renda dos moradores".

Pós-pandemia, Vitória Kwiecinski pretende criar uma agência de turismo com a família na comunidade de Bauxi, em Rosário Oeste. Enquanto o projeto não se concretiza, a jovem presta serviço como condutora de turismo para pousadas e agências locais, que retomam as atividades gradualmente. "Conduzo os turistas até os atrativos e apresento a cultura da comunidade".

Capacitações na área -  Desde 2016, O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), em parceria com os Sindicatos Rurais, disponibiliza em seu portfólio diversos treinamentos voltados ao Turismo Rural.

Dentre eles estão: excelência no atendimento do turismo rural, implantação de trilhas e caminhadas no turismo integrado, oportunidades de negócios e economia criativa no turismo rural e planejamento para implantação do turismo rural.

Para a instrutora do treinamento de implantação de trilhas e caminhadas no turismo integrado, Kathiuscia da Costa Camargo, o treinamento vai além da capacitação. "Além de ensinar como conduzir o turista, como formatar trilhas, o curso oportuniza o acesso ao conhecimento das riquezas naturais pelas pessoas da própria comunidade".