ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Minas Gerais

Suspensão da oferta de crédito
Credito rural Oficio Circular SEI no 561 2022

10 de fevereiro 2022
Por CNA

O presidente do Sistema FAEMG, Antônio de Salvo, enviou hoje ofício à CNA, pedindo que interceda junto ao Governo Federal em defesa de  medidas de crédito rural  suplementar para o Plano Agrícola e Pecuário 2021/22.

“Tomamos conhecimento do Ofício Circular SEI nº 561/2022, do Ministério da Economia, que trata da suspensão de contratações de financiamentos rurais subvencionados no âmbito da Portaria nº 7.867/2021. Temos recebido as demandas de produtores rurais e Sindicatos de Produtores, preocupados com os reflexos da  suspensão da oferta de crédito  pelas instituições financeiras em suas atividades, no campo. Recordamos que, recorrentemente, no início do ano-civil, têm ocorrido cortes orçamentários, que comprometem o acesso aos recursos e o desenvolvimento da produção agropecuária”, alerta no documento.

Antônio de Salvo pede ainda à Confederação apoio no pleito junto aos parlamentares, para projeto de crédito suplementar e em sua aprovação. “É imperioso que consigamos reverter a situação. O setor precisa que o Governo Federal efetivamente disponibilize recursos, tanto para as linhas de financiamento que estão suspensas, quanto medidas emergenciais voltadas aos produtores que tiveram perdas produtivas por questões climáticas.”, conclui o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais.

Entenda a notícia

A Secretaria do Tesouro Nacional enviou comunicado às instituições financeiras  suspendendo até 28 de fevereiro, todas as contratações de crédito rural subvencionadas, inclusive o Pronaf.  

Segundo a Gerente Técnica do Sistema FAEMG, Aline Veloso, a medida prejudica muito o produtor rural brasileiro, em um momento de custos de produção muito elevados. “O produtor precisa ter condições de acessar o crédito para tocar suas atividades. E estamos também em momento de negociação para o próximo Plano Safra 2022-23. É preciso garantir recursos orçamentários para o próximo ciclo, dando ao produtor condições de se planejar antecipadamente para a nova safra”.