ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Mato Grosso

Senar-MT, Instituto Cavalgar e Sindicato Rural de Campo Verde buscam novos parceiros
13072021114040

Por meio do evento Café com Prosa foram divulgados os trabalhos realizados pelo Instituto Cavalgar com o objetivo de buscar novos parceiros

14 de julho 2021
Por Senar

Foi com o objetivo de divulgar os trabalhos realizados pelo Instituto Cavalgar, que o Núcleo das Agroligadas de Campo Verde realizou o Café com Prosa, no último fim de semana. O evento aconteceu no Parque de Exposição Marco Antônio Esteves da Rocha, em Campo Verde e teve o apoio dos parceiros e apoiadores. Equoterapia. Este foi o assunto em pauta e a emoção foi outro ingrediente que encheu os participantes de otimismo e empatia.

Como principal parceiro deste projeto, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), além do valor em dinheiro repassado mensalmente, também doa kits para os trabalhos do dia a dia nas entidades que desenvolvem o programa. Os kits são compostos por seis mantas, três selas australiana e seis capacetes hípicos. O Senar-MT capacita e qualifica os parceiros para atuarem dentro da equoterapia e os profissionais que mantém os cavalos preparados para o trabalho com os participantes.

É quase impossível não se emocionar ao ouvir o depoimento daqueles que frequentam o Instituto Cavalgar. E foi assim, recheado de muitas declarações emocionantes que o Café com Prosa mostrou, na prática, como funciona o projeto de Equoterapia.

Para incrementar o evento, a gerente de marketing e comunicação do Sistema Famato, Cláudia Luz mostrou os números da atividade agropecuária para um público que não atua diretamente no setor. Ela também falou um pouco das ações do Sistema Famato e como as entidades que o compõem se organizam para atuar em prol do fortalecimento do setor. Destacou o período do Plano Anual de Trabalho (PAT) 2022, que acontece até o final de agosto e como as pessoas podem acessar os serviços do Senar-MT.

Em Campo Verde a fila de espera já ultrapassa 100 pessoas. E é para atender esta demanda que cresce diariamente que o presidente do Sindicato Rural de Campo Verde, Alexandre Shenkel convida a sociedade para conhecer o projeto e contribuir para minimizar esta demanda.

Caso de Sucesso  - Quem conseguiu uma vaga e é atendido pelo Instituto Cavalgar sempre tem uma boa história para contar. Santana de Jesus Galvão é mãe da pequena Brenda, de 11 anos. Ela tem a síndrome de Pitt-Hopkins, uma doença extremamente rara e que causa alterações físicas, cognitivas e comportamentais.  Segundo o portal Síndrome de Pitt-Hopkins Brasil existem hoje menos de 40 casos diagnosticados em todo o país.

O diagnóstico correto saiu quando Brenda tinha 10 anos. A mãe destaca que sempre fez todo tipo de terapia indicada para a criança, mas foi a equoterapia que mais surtiu efeito.

A menina foi das primeiras integrantes do projeto de equoterapia, em Campo Verde, iniciando em maio de 2019. A fisioterapeuta Cauane Lopatiuk, que acompanha todos os atendimentos, conta que, no início, Brenda sequer conseguia manter-se sentada sozinha sobre o cavalo e hoje ela fica montada sozinha.

A mãe de Brenda ainda acrescenta que, depois da equoterapia, a menina desenvolveu coordenação para levar os alimentos sozinha à boca, fica sentada sozinha, desenvolveu equilíbrio, teve melhora na postura e alinhamento de quadril.

Equoterapia -  é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas da saúde, educação e equitação, visando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiências e/ou necessidades especiais (ANDE-Brasil).

As técnicas utilizadas agem para superar danos sensoriais, motores, cognitivos e comportamentais através de uma atividade lúdico desportiva, oferecendo todas as condições julgadas importantes ao tratamento dos praticantes.

Instituto Cavalgar -  criado e gerido pelo Sindicato Rural de Campo Verde, o Instituto atende gratuitamente crianças que possuem necessidades especiais, em decorrência de distúrbios físicos, mentais ou emocionais.

O projeto tem como principal parceiro o Senar-MT e conta ainda com as doações de pessoas e empresas para manter o atendimento a cerca de 30 crianças. Como a fila de espera para ser atendido já passa de 100 pessoas, o Sindicato Rural iniciou um movimento em busca de parceiros.

Os interessados em contribuir ou adotar um praticante, por meio de doação de recursos, entre em contato pelo telefone (66) 3419-2111.