Paraná

Paraná mostra sua força em evento do agro em Brasília
Encontro Nacional do Agro

Comitiva paranaense no Encontro Nacional do Agro, promovido pela CNA, contou com mais de 350 pessoas

16 de agosto 2022
Por CNA

A agropecuária paranaense mostrou toda a sua força diante do país durante o Encontro Nacional do Agro, realizado em Brasília, no dia 10 de agosto. A comitiva do Paraná foi uma das maiores entre todos os Estados, levando mais de 350 pessoas à capital federal. Ao todo, 123 sindicatos rurais foram representados, contando com participação significativa de integrantes da Comissão Estadual de Mulheres da FAEP (CEMF). A logística para cumprir todo o itinerário envolveu dois aviões fretados e dez ônibus (quatro em Curitiba e seis em Brasília). Considerando que as viagens dos produtores rurais paranaenses começaram em cidades do interior, ainda no dia 8, e terminaram apenas no dia 11, foram quatro dias de esforço coletivo para concretizar a caravana.

O presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Ágide Meneguette, destacou o empenho das centenas de produtores rurais paranaenses em mais uma demonstração de união do setor estadual. “O Paraná é um exemplo para o Brasil na mobilização para defender os interesses dos produtores rurais. A presença em Brasília com toda essa força é um reflexo do que construímos nas últimas décadas. Cada conquista na nossa história só se tornou possível porque nos engajamos na vida pública, exatamente como fizemos nessa viagem a Brasília”, enfatizou.

0

O evento promovido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) reuniu 3,2 mil lideranças rurais de todo o Brasil, com a presença do presidente Jair Bolsonaro. Em seu discurso aos participantes, o chefe do Executivo tratou de diferentes agendas, como a da regularização fundiária e segurança na área rural, e destacou o fato de a agropecuária brasileira ser uma das que mais preserva no mundo. “Nunca se viu tanto orgulho de ser brasileiro como agora. Isso é Brasil, isso é cada um de vocês. Não somos o país do futuro, somos o país do presente”, destacou o presidente.

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Marcos Montes, classificou o evento como um dia marcante para o Brasil. “Em outros momentos em que CNA promoveu encontros como esse, nós mudamos o Brasil. As milhares de pessoas [que estão aqui] vão fazer grandes reflexões, que vão ao encontro daquilo que nós queremos para o desenvolvimento agropecuário”, avaliou Montes.

De acordo com o deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), Sergio Souza, nos últimos anos, as pautas do agro têm ganhado celeridade na tramitação. “Nossa bancada não é a maioria, mas é a mais organizada. Precisamos de uma bancada cada vez mais forte para ajudarmos o presidente da República. Por isso que chamo a atenção de maneira especial para a necessidade dessa sintonia. Vamos voltar para os nossos Estados, nossas cidades, levando a mensagem da esperança”, convocou o líder ruralista, que fez menção a Meneguette em seu discurso.

0

A deputada federal e ex-ministra da agricultura, Tereza Cristina, também prestigiou o evento. A parlamentar se referiu à plateia como um exército verde e amarelo que produz. “Esse verdadeiro exército de pequenos produtores, produzindo de maneira integrada, são exemplo para o mundo. A priorização do agro na política é algo que deve ocorrer, pois esse é um setor que não pode parar. Hoje, vejo que o campo tem uma esperança enorme em seguir no projeto de avanços e modernização do país”, analisou.

Futuro

A programação do encontro contou com a apresentação do documento “O que esperamos dos próximos governantes”. O presidente da CNA, João Martins, salientou que o engajamento dos produtores rurais nos rumos do país é de suma importância. “O mundo está na expectativa para que Brasil se consolide como primeiro e mais seguro celeiro do mundo. Temos equipamentos e tecnologia, mas só isso não é o suficiente. Precisamos que o Brasil se modernize, que o Congresso Nacional que será eleito tenha coragem de votar as grandes reformas que o Brasil precisa. Vamos voltar para casa sabendo que está em nossas mãos o destino desse país”, apontou.

O diretor técnico da CNA, Bruno Lucchi, detalhou o documento preparado pela Confederação para entregar aos governantes da próxima gestão, dos poderes Executivo e Legislativo. O material sinaliza para a construção de uma relação harmoniosa entre os poderes para que o Brasil evolua. “Não falamos só do agro. Para que o agro vá bem, o Brasil precisa ir bem. Temos necessidades urgentes no país, em termos de reformas [política, administrativa e tributária], saúde, emprego e segurança”, elencou.

0

O documento é dividido em quatro partes: Segurança alimentar; Desenvolvimento econômico; Desenvolvimento social e Desenvolvimento sustentável. Entre as medidas defendidas estão a ampliação da produção de fertilizantes no Brasil, a aprovação de projetos de lei relacionados à regulamentação de defensivos agrícolas e bioinsumos, a ampliação da conectividade no campo e o fomento à irrigação. O aumento na eficiência dos programas sociais e criação de mecanismos transitórios de reinserção das famílias no mercado de trabalho também integram as diretrizes listadas no documento.

O material apresentado aos participantes, incluindo o presidente Jair Bolsonaro, ainda passará por aprimoramentos. Todas as federações da agricultura do país receberão as propostas e terão a chance de formular críticas e sugestões. O Sistema FAEP/SENAR-PR será uma das entidades que vai receber o material e enviar as contribuições com as demandas dos produtores rurais paranaenses.

Programação

O Encontro Nacional do Agro teve programação ao longo de um dia. Pela manhã, o painel “Cenário econômico e seus reflexos no agro” tratou da conjuntura que envolve o vai e vem das commodities agrícolas. Os palestrantes foram o especialista em agronegócio Alexandre Mendonça de Barros e Roberto Rodrigues, coordenador do centro de agronegócio da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ainda pela manhã, o jornalista Alexandre Garcia mediou a mesa redonda “Segurança alimentar e meio ambiente”.

O local do evento reuniu espaços interativos, onde os produtores rurais puderam transitar. Uma feira com produtos típicos de todo o Brasil proporcionou a degustação de alimentos e bebidas. Ainda houve tempo para mais debates técnicos, com as palestras “Cenário político e agenda legislativa”, com Roberto Brant e Nilson Leitão, da CNA, e “Redes sociais e comunicação emocional”, com a influencer Camila Telles e o consultor da CNA Paulo Crepaldi.

0

A viagem

  • O trajeto dos produtores rurais paranaenses contou com dois aviões fretados, que saíram de Curitiba rumo a Brasília nos dias 8 e 9 de agosto;

  • Para fazer os deslocamentos entre hotéis, aeroportos e centro de eventos, foram utilizados dez ônibus de viagem;

  • Alguns produtores rurais tiveram a oportunidade de voar primeira vez, o que gerou surpresas e emoções nos voos;

  • A distância entre Curitiba e Brasília é de 1,3 mil quilômetros, ou seja, somente em deslocamento aéreo foram mais de 5 mil quilômetros;

  • Em um dos jantares em Brasília, a comitiva do Paraná foi prestigiada pelo deputado estadual Tião Medeiros e os deputados federais Aline Sleutjes e Sergio Souza;

  • Nesse mesmo jantar, uma comitiva da CNA, liderada pelo presidente João Martins, fez questão de dar as boas-vindas ao grupo paranaense;

  • Das 350 pessoas da comitiva paranaense, 71 eram integrantes da Comissão Estadual de Mulheres da FAEP;

  • Ao todo, 83 membros da caravana eram presidentes de sindicatos rurais.