São Paulo

Lideranças de SP e Sindicatos Rurais comprovam a força da produção paulista no Encontro Nacional do Agro
FAESP

FAESP marca presença com a maior comitiva dentre todas as federações em evento da CNA

11 de agosto 2022
Por Senar

Por: SENAR-SP

Fonte: Comunicação do Sistema FAESP/SENAR-SP

Na manhã da quarta-feira (10/08), aconteceu a abertura do Encontro Nacional do Agro, organizado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), com a presença das lideranças das Federações estaduais – entre elas a Federação da Agricultura e da Pecuária do Estado de São Paulo (FAESP) –, bem como representantes de sindicatos rurais e de diversas associações do setor. Cerca de 3.500 pessoas estiveram presentes no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (DF), para acompanhar uma extensa programação de debates, análises de cenários econômicos, políticos e da agenda legislativa do setor, além de palestras sobre segurança alimentar, meio ambiente e comunicação. Cerca de 500 pessoas fizeram parte da comitiva da FAESP.

O evento foi aberto pelo presidente da CNA, João Martins da Silva Junior, que destacou a oportunidade de, pela primeira vez na história da entidade, realizar uma reunião em Brasília com todos os representantes, não só os presidentes das Federações, mas dos sindicatos rurais, de Roraima ao Rio Grande do Sul. “Isso sinaliza a disposição do agro em lutar para um Brasil melhor. O mundo todo está na expectativa de que o Brasil se consolide como o primeiro e o mais seguro celeiro do mundo. Nós somos bons em produzir, temos tecnologia, mas precisamos que o Brasil se modernize e que o Congresso Nacional que que será eleito tenha a coragem de votar as grandes reformas que o País precisa”, declarou Silva Junior.

Na sequência, Bruno Lucchi, diretor técnico da CNA, fez a apresentação do documento "O que esperamos dos próximos governantes”, elaborado pelo Sistema CNA. “É um documento que historicamente temos feito, mas desta vez visa não apenas o próximo presidente, mas o Congresso Nacional. Precisamos ter harmonia entre os poderes para que realmente o Brasil consiga evoluir. Neste documento nós listamos ações que vão além do agro, abrangendo saúde, educação, emprego e segurança. As Federações vão receber este documento completo para que ele seja debatido com os representantes dos sindicatos rurais” declarou, acrescentando que o plano foi elaborado em quatro grandes eixos: segurança alimentar, desenvolvimento econômico, desenvolvimento social e desenvolvimento sustentável.

Tereza Cristina, ex-titular do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), também se pronunciou afirmando que “nós continuaremos contando com o apoio de vocês para que o Brasil possa se modernizar. É muito importante que a Câmara e o Senado atuem para que sejam realizadas as reformas necessárias e que estão muito bem colocadas neste plano [da CNA]. Tem de haver um senso de urgência por parte do parlamento”, disse.

O Deputado Federal Sergio Souza (MDB) comentou que as pautas do setor adquiriram mais velocidade nos últimos anos. “Há muito tempo eu não via as pautas do setor andarem de modo tão rápido. Isso só é possível porque a nossa frente parlamentar agropecuária é muito organizada. Não somos a maioria, mas eu digo com toda a tranquilidade que somos a bancada mais bem assistida pelas Federações e pelas organizações das cooperativas. Nós temos as pautas mais justas, que são focadas na produção de alimentos e na geração de empregos para os 250 milhões de brasileiros e para produzir excedente para mais de 200 países”, disse o parlamentar.

O atual ministro do MAPA, Marcos Montes, também reforçou a necessidade de haver sintonia entre o Executivo e o Legislativo. “Avançamos em diversas pautas, como a questão dos defensivos, do licenciamento ambiental e da regularização fundiária, que estavam paradas há anos”, declarou. Finalizando as apresentações da manhã, o presidente da República, Jair Bolsonaro, foi convidado a fazer seu pronunciamento em seguida. Assim como o deputado Sergio Souza e o ministro Montes, ele destacou todas as pautas voltados ao agronegócio que tiveram avanços importantes nos quase quatro anos de seu governo. A cerimônia foi encerrada com a assinatura de um convênio entre a CNA e o IBGE, visando ao Censo do agro nacional.

 Painel

A programação da manhã foi concluída com a apresentação do painel “Segurança alimentar e meio ambiente”, apresentado por Joaquim Leite, ministro do Meio Ambiente, e Marcos Montes, titular do MAPA. “O Brasil que nós queremos para o futuro é o país que sai de um modelo simplório em relação ao meio ambiente, que simplesmente multava e culpava o setor privado, para um país que incentiva a inovação e uma economia verde, que reduz emissões e cria soluções climáticas e ambientais lucrativas para os empreendedores e para todos os brasileiros. Por isso, afirmo que o Ministério do Meio Ambiente é parceiro do setor privado e do Ministério da Agricultura”, declarou Leite.

Para o período da tarde a programação teve sequência com apresentações de outros dois painéis: Cenário político e agenda legislativa, com Roberto Brant, presidente do Instituto CNA e Nilson Leitão, consultor da CNA; e Redes sociais e comunicação Emocional, com Camila Telles, influencer e Paulo Crepaldi, consultor CNA.