Faculdade CNA debate inovação tecnológica como ferramenta de comercialização do agro
Whats App Image 2020 05 08 at 10 30 15

Encontro ao vivo reuniu representantes do Sistema CNA/Senar e estudantes

8 de maio 2020
Por Faculdade CNA

Brasília (08/05/2020) – A Faculdade CNA promoveu um debate ao vivo sobre o tema “Como a inovação tecnológica pode auxiliar as estratégias de comercialização do agro?” na quinta (07).

O encontro contou com a participação do diretor-geral da Faculdade CNA, André Sanches; do coordenador de Inovação do Sistema CNA/Senar, Matheus Ferreira; e do coordenador de Iniciação Científica e de Extensão da Faculdade CNA, Alberto Santos.

André Sanches destacou que inovação e comercialização são dois pontos essenciais para o agro brasileiro. Ele lembrou que os investimentos tecnológicos e as ferramentas de gestão da propriedade promoveram um salto na produtividade brasileira nas últimas décadas.

“A tecnologia é fundamental para o crescimento da produção sem a abertura de novas áreas e para a sustentabilidade econômica, social e ambiental do País”, disse.

O coordenador de Iniciação Científica e de Extensão da Faculdade CNA ressaltou a necessidade de observar as mudanças de mercado e buscar mecanismos que sejam sustentáveis e que promovam o desenvolvimento do agronegócio.

Segundo Alberto, novos mercados estão surgindo, como as agritechs , startups e aplicativos de delivery , e o Brasil tem potencial muito grande para aproveitar essa tendência, mas é preciso conhecimento e estratégia para avançar.

“É importante diferenciar inovação de ideia. Inovação só quando o mercado absorve aquela ideia. A estruturação de um negócio precisa de planejamento estratégico para obter recursos financeiros, ter lucro e se manter sustentável”, afirmou.

Realidade - Na visão de Matheus Ferreira, o Brasil já vem registrando evolução nas áreas de inovação dentro das empresas e instituições do setor agropecuário.

“O Brasil é referência, não precisamos mais importar tecnologias, mas temos um desafio muito grande que é levar essas inovações e informações ao máximo possível de produtores rurais, principalmente os pequenos e médios”.

O coordenador de Inovação do Sistema CNA/Senar acredita que ferramentas de e-commerce , startups da logística que facilitem o transporte entre produtores rurais e consumidores finais e o setor de alimentos prontos são tendências impulsionadas pela pandemia que deverão continuar em crescimento. Itens já consolidados, como rastreabilidade, certificação e confiança do produto seguirão em valorização.

Ele também destaca que já estão sendo utilizadas criptomoedas no setor, uma novidade que pode gerar garantia nas negociações em marketplaces . Tecnologias de inovação na entrega de produtos que ainda não estão em uso no Brasil, mas que já são realidade em outros países, como o uso de robôs e drones, são outra possibilidade para o futuro.

Com essa visão, o Sistema CNA/Senar lançou recentemente a plataforma Mercado CNA e desenvolve iniciativas como a Rede Nacional de Inovação para o Agronegócio (Agroup). Um ponto fundamental para que os produtores rurais possam se adaptar e aproveitar essa nova realidade é a Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Senar.

“Para investir em tecnologia, o produtor precisa sobreviver e ter lucro. O papel da ATeG é fundamental dentro do processo de produção e, cada vez mais, ganha importância na gestão e na comercialização”, declarou Matheus.

Assessoria de Comunicação CNA