ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Aliança Agroeconômica lança primeiro relatório sobre produção do Centro-Oeste
Alian C3 A7a Agroecon C3 B4mica abre

Publicação trimestral foi elaborada por entidades da região

19 de junho 2019
Por CNA

Representantes das entidades que integram o grupo. Fotos: João Carlos Castro/ Sistema Famasul

Brasília e Campo Grande (19/06/2019) - Liderada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Aliança Agroeconômica se reuniu na terça (18), para o lançamento da primeira edição do relatório trimestre sobre a produção agropecuária do Centro-Oeste.

O encontro aconteceu em Campo Grande, na sede da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) e contou com a presença de representantes das instituições participantes.

O grupo é formado por entidades do setor produtivo da região, como a Famasul, o Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (IFAG) e o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). O objetivo é a realização de uma cooperação técnica para integrar as ações de pesquisas e estudos no Sistema CNA/Senar, relacionadas ao setor agropecuário.

O relatório, que terá periodicidade trimestral, traz informações referentes à produção agropecuária da região com base nos dados coletados pelas entidades envolvidas. Entre os temas abordados estão: a produção agrícola da safra 2018/19, resultado das exportações bovinas, estatísticas microrregionais do Centro-Oeste, custo de produção, produtividade e outros dados de mercado interno e internacional.

Segundo o assessor técnico da CNA, Diego Humberto de Oliveira, o documento foi composto com a disponibilização de dados primários e também dados secundários.

“A instituição contribuiu com informações do projeto Campo Futuro, uma iniciativa do Sistema CNA/Senar, das federações e dos sindicatos rurais, em parceria com as universidades, que realizam o levantamento de custo de produção de mais de 40 atividades agropecuárias no Brasil, com a intenção de gerar informações estratégicas para os produtores e também auxiliar a CNA nas discussões de políticas públicas para o setor”, disse.