ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Paraná

Projetos vencedores do Agrinho ajudam a formar cultura sustentável
Experiencias Pedagogicas

As três iniciativas que conquistaram o pódio tratam de temas como reciclagem, redução no uso de recursos naturais e preservação de agentes polinizadores

21 de novembro 2022
Por Senar

Mais do que produzir alimentos, o Paraná tem uma vocação para a sustentabilidade. Muito dessa cultura do dia a dia do campo passa pela formação de uma base sólida. O Programa Agrinho, há 27 anos, é um exemplo nesse sentido, com a formação de crianças e adolescentes que são verdadeiros guardiões da natureza. A síntese da iniciativa que reverbera no meio rural pode ser facilmente detectada no espírito dos projetos que foram avaliados pelo Concurso Agrinho 2022, em especial os três ganhadores na categoria Experiência Pedagógica.

Os projetos vencedores, cujas professoras ganharam um automóvel zero quilômetro cada, são ações que trataram de temas cruciais para o desenvolvimento sustentável, com medidas voltadas à reciclagem, à redução no uso de recursos naturais e à preservação de agentes polinizadores. “Quero dar os parabéns às professoras e alunos envolvidos em todos os projetos na edição 2022, em especial às três vencedoras. Tenho certeza que a semente para um futuro melhor está plantada e vai frutificar em ações sustentáveis ao longo das gerações”, apontou o presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Ágide Meneguette, durante o seu discurso.

A alegria das professoras vencedoras coroou o trabalho de um ano inteiro em salas de aula espalhadas por todo o Estado. “O Agrinho mudou a nossa vida. Três anos atrás, começamos todo um trabalho na nossa escola e isso nos deu motivação. Com a ajuda das famílias dos alunos, conseguimos chegar a um resultado gratificante, reconhecido também na escola. Todos os professores estão se programando para no ano que vem promover novas experiências usando o Agrinho”, celebrou a professora Juliana Corrêa Lamim Bortoluzzi, 3ª colocada no concurso.

Juliana Bertoluzzi

Para a medalha de prata, a premiação teve um gosto especial, já que até então a professora nunca tinha tido um carro. “Esse é o meu primeiro automóvel e a emoção é tamanha, pois o projeto foi um momento no qual eu passei a mudar minha postura enquanto pessoa. O Agrinho não muda só a vida do aluno, muda também a do professor”, apontou. “Quero agradecer a todos os professores que trabalharam o projeto ao longo da minha vida escolar. Eu sou fruto do programa, pois já participei como aluna no município de São João”, emendou Ana Karoline Machado, 2ª colocada no concurso.

Ana Karoline Machado

A grande campeã do dia, Thalita Fernanda Machry, viveu o Agrinho do início ao fim do ano, culminando com o reconhecimento pelo esforço. “E pensar que eu quase não me inscrevi com projeto próprio. O Agrinho foi muito importante na minha vida e na vida das minhas crianças. Elas amaram todo o trabalho e fizemos várias coisas inspiradas no material. Com certeza vou participar no ano que vem. Eu já vivia o Agrinho antes, agora, então, nem se fala”, emocionou-se.

Thalita Machry

Áreas de atuação