ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Mato Grosso do Sul

Primeira live do Sistema Famasul debate desafios e oportunidades da bovinocultura de leite
Live web2 200604 202941

4 de junho 2020
Por CNA

Efeitos da tecnologia, planejamento estratégico e dedicação do produtor foram destaques da transmissão ao vivo

Mato Grosso do Sul possui 24 mil propriedades rurais ligadas à cadeia produtiva do leite, com mais de 920 recebendo atendimento da Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS, responsáveis por 15% da captação de leite no estado. Os dados foram apresentados durante a 1ª Live do Sistema Famasul, transmitida nas plataformas digitais nessa terça-feira (02), diretamente de Campo Grande (MS).

O presidente do Sistema Famasul, Mauricio Saito, foi quem fez a abertura do encontro online, o primeiro de uma série de lives, que serão transmitidas semanalmente, abordando temas diferentes sobre cadeias produtivas do estado.

“Estamos falando de uma cadeia produtiva com características únicas, que fomentam o desenvolvimento econômico e social em diferentes regiões do estado. É o objetivo deste encontro, o primeiro de 14 programados, um ciclo que possibilita a troca de informações, entender melhor o mercado e melhorar a produtividade com sustentabilidade”, disse Saito.

Durante a transmissão, que contou com a participação ao vivo de Jaime Verruck, secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Saito reforçou que essa cadeia produtiva merece atenção especial por contribuir efetivamente com a economia do estado, atendendo às demandas de consumo em quantidade e qualidade. 

“É extremamente relevante trazer essa discussão. O governo do estado está buscando alternativas junto a Câmara Setorial do Leite e outras instituições da área para levantar soluções que atendam esta cadeia produtiva. A proposta do desafio é chamar a atenção para a atividade leiteira no estado, do consumo de leite e a aquisição de produtos locais. A estrutura estadual está à disposição para os produtores”, finaliza.

Desafio do Leite
O tema da 1ª live do Sistema Famasul foi escolhido em alusão ao Dia Mundial do Leite, celebrado em 1º de junho, e integrou a Semana Estadual do Leite. A ação mobiliza entidades públicas e privadas para debater iniciativas de valorização à atividade e estímulo ao consumo do produto. 

Mauricio Saito aproveitou o momento para cumprir o desafio proposto pelo secretário Jaime Verruck, e tomou um copo de leite durante a live desafiando, então, o superintendente do Sebrae/MS, Cláudio Mendonça. 

Palestras
A primeira palestra técnica da live foi proferida pelo professor de Economia Rural da UEMS, André Rozemberg. Os efeitos positivos e limitadores do uso da tecnologia foram um dos destaques. “É preciso também se preocupar com o incentivo ao consumo. A tecnologia sozinha pode se reverter em redução de preço ao produtor, pelo simples fato de aumentar a oferta no mercado. É preciso equilíbrio”, ressalta. 

De acordo com Rozemberg, todo sistema de produção deve ser sustentado por diferentes pilares, um conjunto de medidas. “Para encher o balde, não adianta ter somente sanidade, ou estrutura física, se a genética estiver lá embaixo. É preciso ter gestão, eficiência da mão de obra e nutrição nos mesmos patamares”. 

Já o coordenador da Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS, Nivaldo Passos, falou dos resultados positivos alcançados pelos produtores atendidos. “No primeiro ano de visita técnica a produção média de leite por propriedade ao dia era de 76 litros.  No terceiro ano, alcançou 180 litros. Devemos considerar que a área foi mantida em 20 hectare s, e o total de vacas em lactação passou de 33 para 27 animais, já que existe uma seleção dos animais que devem continuar na propriedade”. 

De acordo com Nivaldo, os produtores de leite que recebem a equipe técnica do Senar/MS em até 3 anos, conseguem obter diariamente até 10 litros por vaca – sendo que a média estadual é de 5,8 litros por animal.

Cada propriedade tem suas características próprias e por isso, o levantamento técnico é feito de forma individual, personalizada. A intenção é reduzir os custos e aumentar a margem de lucro, para isso, é necessário fazer alguns investimentos, e ter mais dedicação à atividade, para garantir o crescimento do negócio”, complementa.

Confira o vídeo completo  aqui.