ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Minas Gerais

Preparo do Queijo Minas Artesanal pode se transformar em Patrimônio da Humanidade
Queijo minas artesanal patrimonio

Solicitação foi feita ao Governo Federal durante abertura oficial do 4º Festival do Queijo Artesanal de Minas

26 de setembro 2022
Por CNA

Por: Cristiane Mendonça, Sistema Faemg

Antônio de Salvo: “O Sistema Faemg fica muito feliz de participar e apoiar a entrega da solicitação ao ministro Carlos Brito”

A abertura oficial da quarta edição do Festival do Queijo Artesanal de Minas , evento organizado pelo Sebrae Minas e Sistema Faemg, foi realizada neste sábado (24/9), no Parque de Exposição da Gameleira, em Belo Horizonte, e contou com um pedido especial. A Associação Mineira dos Produtores de Queijos Artesanais de Minas Gerais (Amiqueijo) assinou e entregou ao ministro do Turismo, Carlos Brito, a solicitação para inscrição dos Modos de Fazer o Queijo Minas Artesanal (QMA) na Lista Representativa do Patrimônio da Humanidade , chancelada pela Unesco.

Para o presidente do Sistema Faemg, Antônio de Salvo, o pedido de reconhecimento ao modo de fazer do queijo celebra o trabalho dos mineiros. “A importância para os produtores rurais é forte, mas, mais do que isso, o Brasil é um país que se orgulha pouco da cultura que tem. E esse ‘modos de fazer’, que é uma tradição do nosso queijo artesanal mineiro, pode e deve ser aceito como Patrimônio. O Sistema Faemg fica muito feliz de entregar a solicitação ao ministro Carlos Brito. Afinal, o mineiro não vive sem um queijo, sem um cafezinho.”

O presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas, Roberto Simões, comenta que a indicação como Patrimônio da Humanidade, com a chancela da Unesco, dá mais corpo ao produto. “As pessoas podem melhorar as suas vendas, que é o nosso grande objetivo, e melhorar a qualidade de vida das famílias”.

Foto roberto simoes queijo

Roberto Simões: “Solicitação pode melhorar as vendas e as vidas dos produtores de queijo”

Objetivos que também são a premissa do Sebrae, segundo Simões. “Desde 2013, acompanhamos a temática do queijo, formando pessoas e melhorando o atendimento dos técnicos. E, assim, a gente vai junto com o Sistema Faemg, sempre no sentido de melhorar a vida dos produtores e das suas famílias com renda e mais qualidade de vida”.

Desejos que também são do vice-presidente da Amiqueijo, José Ricardo Ozório. “Temos muito caminho a percorrer e devemos acreditar que vamos sim partir para um momento melhor. Precisamos de mais inclusão dos pequenos produtores e trazer com esse reconhecimento mais condições de vendas e recursos que possam valorizar o produtor rural”.

Foto ozorio queijo

José Ricardo Ozório: “Precisamos de mais inclusão dos pequenos produtores”

A presidente do IEPHA, Marília Palhares, enfatizou a alegria de participar desse momento tão simbólico para o patrimônio cultural de Minas Gerais. “Tudo começou em 2002, nesse estado que foi pioneiro em registrar o primeiro bem imaterial no Brasil. Hoje, depois de uma caminhada com muitos parceiros, foi possível protocolar essa assinatura em prol dos queijos mineiros”.

Foto marilia queijo

Marília Palhares: “Alegria de fazer parte desse momento tão simbólico!”

O ministro do Turismo, Carlos Brito, encerrou os pronunciamentos enaltecendo a iguaria. “Nós temos o melhor queijo do mundo e ele sai daqui de Minas Gerais. Temos também o melhor produto do mundo, e esse produto é o Brasil.”

Foto ministro turismo

Ministro do Turismo Carlos Brito: “O melhor queijo do mundo sai daqui de Minas Gerais”

Motivação histórica

O Queijo Minas Artesanal (QMA) é um produto que carrega em seu processo de fabricação uma técnica histórica, que remonta ao tempo dos colonizadores. Com o pedido, o modo de preparar a iguaria em terras mineiras pode figurar ao lado de outras ações culturais oficialmente reconhecidas, como o Frevo e o Círio de Nossa Senhora de Nazaré.

Apoio de todos os lados

Parceiros na realização do Festival do Queijo Artesanal de Minas, Sebrae Minas e Sistema Faemg desenvolvem pesquisas, capacitações e programas para que os produtores de queijo tenham suporte desde a alimentação para o gado leiteiro até divulgação eficaz para comercializar.

O Sebrae Minas tem apoiado a promoção e o desenvolvimento das diversas regiões produtoras do queijo artesanal com projetos que reforçam a importância da identidade única existente em cada lugar onde os queijos são produzidos, reforçando a importância da origem e seus atributos. A entidade também leva informação para que produtores tomem as melhores decisões relacionadas à sua produção e à sua região - sempre reforçando o sentimento de pertencimento e de valorização da origem produtora, grande diferencial aos olhos dos consumidores.

Para quem está no campo, o Sistema Faemg oferece 19 cursos na área por meio do Senar Minas. Desde janeiro de 2019, foram realizados 812 cursos, seminários e oficinas, que formaram 10.604 participantes. Com o Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) Agroindústria, criado em 2019, 626 propriedades já receberam orientações gratuitas sobre produção e gestão com técnicos especializados, em parceria com os Sindicatos Rurais.

Sobre o Festival:

Empório Sistema Faemg: pimentas, geleias, cafés e queijos feitos por produtores rurais

A quarta edição do Festival do Queijo Artesanal de Minas vai até este domingo (25/9). No evento estão sendo preparados, por chefs mineiros, pratos feitos com queijos produzidos em 10 regiões do estado, além de estandes com cervejas artesanais, geleias e cachaças.

Após dois anos de pandemia, o evento voltou ao formato presencial e a expectativa é receber cerca de 8 mil pessoas nos três dias de realização.

Veja aqui as fotos da cerimônia oficial de abertura:

https://www.flickr.com/photos/sistemafaemg/sets/72177720302390913/with/52382250494/