ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Minas Gerais

Curso novo em Minas Gerais: Rastreabilidade na Bovinocultura

27 de julho 2022
Por Senar

Pesquisas apontam a importância da introdução do conceito de rastreabilidade na bovinocultura e demais cadeias produtivas, levando mais benefícios para a saúde pública e proteção do consumidor. O tema foi apresentado a produtores rurais de Morro da Garça e região, por meio do curso piloto do Sistema FAEMG e em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais de Curvelo.

imagem

Na prática, os alunos entenderam que a rastreabilidade e a identificação eletrônica dos animais representam o acompanhamento de todo o percurso de uma matéria-prima, desde a sua origem até o uso no produto final, a exemplo da gestão da produção da carne bovina. Além disso, permite que o sistema de dados da propriedade rural seja alimentado com informações confiáveis, requisito indispensável para o planejamento das atividades e melhor coordenação entre os elos da cadeia.

Consumidores do mundo inteiro estão mais exigentes em relação à qualidade dos alimentos. O sistema de rastreabilidade, de acordo com o instrutor Marcos Aurélio Lopes, pode ser aplicado a muitos produtos dentro da cadeia de suprimentos, servindo para manter os padrões de controle de qualidade.

Segundo a analista técnica da Gerência de Formação Profissional do SENAR MINAS, Marília Saraiva, o método determinado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) tem o intuito de ajudar os pecuaristas a ter um controle eficaz na identificação de cada animal. “Assim o proprietário tem um gerenciamento mais eficiente, por exemplo, na compra e venda e no abate dos animais, recebendo informações no computador, pelo número do animal, sobre quanto recebeu pelo peso, carcaça e acabamento”, explicou.

imagem

Rodrigo da Costa Cruz, da fazenda Sagarana, participou do curso para entender o que o mercado está exigindo dos produtores e as oportunidades de ganhos. “Fiquei satisfeito e tirei inúmeras dúvidas com o instrutor. Mais produtores deveriam ter a oportunidade de conhecer esse importante treinamento”.

“Cheguei ao curso para entender o quanto a rastreabilidade agregaria no valor das arrobas de bovinos. Aprendi muito além disso, que ela poderá ser usada também como mais uma ferramenta de controle aos produtores e como mecanismo reconhecido para identificar a origem exata do que consumimos e vários fatores que incorporam seu desenvolvimento”, completou o aluno Marco Túlio de Araújo Simões.