ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Mato Grosso do Sul

Mais de 85% dos produtos comercializados na Ceasa/MS são importados
MANDIOCA SITE

Levantamento do Sistema Famasul aponta que frutas e olerícolas são adquiridas de outros estados

1 de agosto 2022
Por CNA

Por: Vitor Ilis

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul

Um estudo técnico realizado pela Famasul apontou que mais de 85% dos produtos comercializados pela Ceasa/MS (Central de Abastecimento de Mato Grosso do Sul) são importados de estados vizinhos. O levantamento também utiliza dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), entre 2020 e 2022, destacando os itens mais produzidos no estado.

De acordo com a analista técnica do Sistema Famasul, Laura Cortez, existe espaço para o aumento da horticultura em Mato Grosso do Sul. "Somos destaque na produção de carnes, grãos, cana-de-açúcar e produtos florestais, mas a produção de hortifrútis no estado é ainda pequena. Porém, há um potencial para expansão da fruticultura e olericultura, visto que existe demanda e boa rentabilidade da atividade, mesmo em pequenas áreas”, explica.

Segundo as informações da Pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE, o sul-mato-grossense consumiu 28,7 e 26,4 quilos de hortaliças e frutas respectivamente em um ano, entre o período de 2017 a 2018, sendo o 4º maior estado consumidor de hortaliças e 12º em frutas.

Mato Grosso do Sul teve aproximadamente 44 mil hectares de área colhida em hortifrúti no ano de 2020. A mandioca aparece como a maior cultura produzida, com mais de 39,9 mil hectares, seguida pela melancia, com 1,2 mil ha; a banana ocupa cerca de 1,2 mil ha; e a laranja com mais de mil hectares. Na Ceasa/MS as maiores comercializações em volume são de banana, tomate, batata, laranja, melancia e cebola. Entre os estados que mais fornecem estão: São Paulo, Paraná e Minas Gerais.

“O produtor rural ainda conta com o auxílio da Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS gratuita, além de diversos cursos nesta área para se capacitar e poder ingressar na atividade”, finaliza, Laura.

Quer saber mais sobre a produção de frutas e olerícolas de Mato Grosso do Sul? Acesse aqui o Estudo Técnico realizado pela Famasul.