ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Mato Grosso

Famato participa da validação dos estudos do Zoneamento de Risco Climático para gergelim
2022 09 29 FAMATO Zoneamento cultura do Gergelim 19

Metodologia do estudo e resultados foram apresentados pelo pesquisador da Embrapa Algodão, José Rodrigues Pereira

30 de setembro 2022
Por CNA

Por: Ascom Famato

Fonte: Ascom Famato

A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), representada pelo segundo vice-presidente, Marcos da Rosa, e pela analista de Agricultura, Karine Machado, participou da reunião técnica de validação dos estudos de Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) para a cultura gergelim, de iniciativa do Departamento de Gestão de Riscos Agropecuários – DEGER/SPA-MAPA e da Embrapa Algodão. A reunião aconteceu quinta-feira (29/09), com a participação de representantes dos estados do Centro-Oeste (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiânia).

A metodologia do estudo e os resultados foram apresentados pelo pesquisador da Embrapa Algodão, José Rodrigues Pereira. O encontro foi mediado pelo pesquisador da Embrapa Agrossilvipastoril, Cornélio Alberto Zolin.

O estudo está sendo elaborado com o objetivo de minimizar os riscos relacionados aos fenômenos climáticos causadores de perdas significativas na produção agropecuária e indica para cada município a melhor época ou janela de semeadura/plantio das culturas nos diferentes tipos de solo e para os diferentes ciclos de cultivar.

A Embrapa é responsável em realizar a tarefa de avaliação de riscos climáticos para todo o Brasil e pela validação dos resultados do novo ZARC para a cultura do gergelim.

Resultados – O estudo mostrou que a janela com menor risco está dentro do mês de fevereiro e que o risco começa a aumentar a partir do primeiro decêndio de março. “De um modo geral os dados apresentados estão condizentes com a realidade dos municípios produtores do grão no estado”, apontou a analista Karine Machado.

Em Mato Grosso, a maior parte da produção de gergelim está concentrada em Canarana e municípios da região, como Água Boa e Nova Xavantina.

Na avaliação do diretor Marcos da Rosa, o zoneamento é um instrumento de Política Agrícola que pode possibilitar a prevenção de riscos e impactos para a cadeia. “O zoneamento é o principal instrumento utilizado pelo crédito e seguro rural. É por meio dele que são selecionadas as áreas com maior aptidão para o cultivo de cada cultura e variedade, diminuindo os riscos devido aos problemas climáticos”, destacou Marcos da Rosa.

Ainda de acordo com Marcos da Rosa, com o aumento da cultura de gergelim será possível inserir no estado programas de financiamento de recursos controlados. Além disso, permitirá o acesso ao seguro agrícola. “Com isso, o produtor vai poder produzir com segurança e retorno dos custos de produção”, disse Marcos da Rosa.

Importante – Os estados do Centro-Oeste que ainda não deram suas contribuições para os estudos do zoneamento podem encaminhá-las, pelo site do Mapa, até o dia 15 de outubro. No processo de construção do zoneamento é importante a participação e a contribuição de técnicos e especialistas que lidam com a cultura de gergelim.

De Mato Grosso também participaram o analista do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Miqueias Michetti, e o representante da empresa Meta – Consultoria e Pesquisa de Canarana.

A reunião de validação do ZARC da cultura do gergelim também foi realizada com representantes dos estados das regiões do país: Norte, Sul, Sudeste e Nordeste, em datas e horários diferentes.