São Paulo

Empresária investe no turismo rural depois de participar de cursos do SENAR-SP

Juntos, os integrantes da família Ramos e Guerra já concluíram mais de 20 programas educacionais

22 de junho 2022
Por Senar
Site peabiru

Quando você estiver lendo esta matéria, o sonho da família de Maria Dalma Silva Ramos, provavelmente já estará realizado. Aos 55 anos, a empresária do segmento de gastronomia acaba de inaugurar o Peabiru Portal Turístico (@peabiruportal), em Capão Bonito, região sudoeste do Estado de São Paulo. O espaço, que mescla restaurante, lanchonete e comércio de produtos alimentícios e artesanatos é uma consequência não apenas do grande senso de empreendedorismo de Maria Dalma, mas também do horizonte de possibilidades aberto pelos mais de 20 cursos do SENAR-SP de que ela e seus familiares vêm participando nos últimos anos.

 Casada com Antonio e mãe de Luiz Otávio, 30, e de Pedro Augusto, 28, Maria Dalma empreende no ramo gastronômico desde seus 25 anos de idade. Toda a família é de Pernambuco, onde eram proprietários de um restaurante na cidade de Salgueiro. O negócio foi encerrado quando se mudaram para Uberlândia, em 2002, para que Antonio pudesse tratar de um problema de saúde com o apoio de seus familiares, que vivem no município mineiro.

 Em 2005, Maria Dalma propôs mudarem-se para o Estado de São Paulo, que sempre foi seu sonho, primeiramente morando em Sorocaba. Em 2008, eles conheceram a franquia de um restaurante de comida caseira. Decidiram instalar uma unidade na cidade de Capão Bonito, onde o negócio funcionou com grande sucesso durante dez anos. Porém, com o aumento exorbitante do aluguel do imóvel a família optou por encerrar as operações.

 Como dizem:  é durante os períodos de crise que surgem as oportunidades. A família Ramos e Guerra tinha uma carta na manga e outro projeto em andamento: atuar no turismo rural na cidade onde moram, Ribeirão Grande, que fica a cerca de 12 quilômetros de Capão Bonito. “Já estávamos bem acostumados na região. Compramos um imóvel rural e começamos a planejar esse novo negócio. Até então não tínhamos conhecimento sobre empreendedorismo nessa área. Foi quando buscamos as capacitações do SENAR-SP. Aproveitamos todos os módulos oferecidos nesse segmento, sendo o primeiro deles ‘Resgate das tradições culturais no meio rural’”, conta Maria Dalma, referindo-se aos programas ministrados pela instrutora Fanny Kuhnle, por meio da parceria entre o SENAR-SP e o Sindicato Rural de Capão Bonito.

 Eles não pararam mais. Até hoje, Maria Dalma, Antonio e Pedro fizeram 22 cursos, entre eles Treinamento de turismo rural; Café na gastronomia; Direitos e deveres do cidadão; Danças folclóricas regionais; Apicultura; e muitos mais. Tudo o que o SENAR-SP oferece em termos de cursos voltados para o meio rural, lá está alguém da família inscrito, de manipulação de carnes, passando por doces caseiros, olericultura até a fabricação de embutidos. “Nós quisemos ter conhecimento desse universo completo. Sou tecnóloga em agroindústria, mas o  conteúdo da faculdade é muito mais teórico e eu quis me aperfeiçoar nessa área através do SENAR-SP, porque vi que há um campo riquíssimo”, explica a empreendedora. 

 Adaptação de um sonho

 

Depois que concluiu o curso de turismo rural, Maria Dalma teve a certeza de que queria empreender nessa área, instalando uma pousada e um restaurante no Rancho Maria Bonita, onde a família reside. Porém, quando a propriedade foi avaliada pela instrutora, como parte da capacitação oferecida pelo programa, veio o balde de água fria. “Descobrimos que teríamos que investir muito na infraestrutura e chegamos à conclusão que o custo-benefício não compensaria”, revela.

A família buscou uma maneira de adaptar seus planos sem abrir mão do turismo rural. Foi quando perceberam uma oportunidade no alto fluxo de veículos na Rodovia SP-250, que liga São Paulo a Curitiba, conhecida como “Rastro da Serpente” devido às suas muitas curvas e considerada uma rota turística “obrigatória” para os amantes do motociclismo. Veio a ideia: por que não instalar um restaurante e uma loja para atender os muitos turistas que circulam por ali? Em 2019, a família identificou um imóvel  sem uso onde antes funcionava a escola do município de Capão Bonito, localizado no bairro de Pinhalzinho, bem às margens da rodovia que leva a Guapiara.

 Adaptando um projeto que Maria Julia, designer e esposa de Pedro, fez como conclusão de um curso de Turismo pela ETEC local, apresentaram uma proposta à prefeitura de Capão Bonito para o uso do imóvel no modelo de concessão. Vencedora da licitação, a família colocou mãos à obra literalmente, reformando e adaptando o espaço ao projeto. “Queríamos algo bem rural, mais rústico, incluindo até mesmo um fogão à lenha, e contratamos um arquiteto para fazer esse trabalho. Foi um processo demorado, também por causa da pandemia, mas a inauguração será em 6 de junho.”

 O espaço foi criado não apenas para servir refeições e lanches. Preocupada com artesãos locais que não têm onde comercializar seus produtos – a maioria deles alunos do SENAR-SP –, Maria Dalma decidiu fazer uma parceria, disponibilizando seu espaço para essa finalidade, além de vender seus próprios produtos. “Vamos ter vários tipos de defumados”, revela a empresária, referindo-se ao que será o carro-chefe do estabelecimento e que, não por acaso, também foi consequência das aulas do projeto Processamento Caseiro de Carne Suína, com a instrutora Rosana Maranho de Oliveira, que também é coordenadora do SENAR-SP no Sindicato Rural de Gália. Por sua vez, Antonio e os dois filhos tomaram a frente na construção de um defumador de acordo com as orientações da cartilha do curso.   

 Visionária, Maria Dalma também fechou acordo com agências de viagens de turismo receptivo que promovem passeios aos diversos atrativos para os adeptos do ecoturismo, incluindo as famosas Cavernas do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira e Intervales (Petar).

 Biomassa de banana verde

 Quando ainda mantinha a franquia do restaurante em Capão Bonito, Maria Dalma decidiu procurar formação na área de segurança alimentar, para suprir uma lacuna de assistência que havia. “Tínhamos um movimento médio de 200 pratos por dia e a nutricionista vinha apenas uma vez por mês. Me matriculei em um curso de Agroindústria na Fatec do município, que tinha na grade a disciplina de microbiologia e era tudo o que eu precisava naquele momento”.

 Com apoio da família, ela conseguiu concluir o curso e apresentou como trabalho de conclusão um produto totalmente inovador. “Eu tinha bastante conhecimento sobre biomassa de banana verde desde a minha infância, em  Pernambuco, pois meu pai era produtor da fruta. Minha mãe sempre explorou todos os tipos de receitas com banana verde. Eu fiz que questão de honrar isso no meu Trabalho de Graduação, criando um produto que chamei de Banattela, um creme de chocolate a base de biomassa de banana verde”, revela Maria Dalma, que ganhou diversos prêmios, incluindo um do SEBRAE-SP, participou de feiras e deu entrevistas. “Este será um dos produtos artesanais de nossa loja”, conta, animada.    

 A empresária não pretende parar por aí. “Já avisei o pessoal do Sindicato Rural de Capão Bonito para me chamarem quando tiver novos programas de gastronomia”, diz. “O SENAR-SP foi um portal que se abriu em nossas vidas num momento em que éramos totalmente leigos sobre o turismo rural. Viajamos muito e pesquisamos diversos empreendimentos, mas não sabíamos de fato como e por onde iniciar. Quando participamos do primeiro curso e nos deparamos com o conhecimento da instrutora e do aparato imaterial, a possibilidade de contar com uma profissional tão capacitada, tão próxima, disposta a mostrar detalhes de como a coisa funciona, isso fez todo o diferencial”, resume Maria Dalma.

Para conhecer os cursos disponíveis pelo SENAR-SP clique aqui.

Outras informações acesse o Portal FAESP/SENAR-SP