Logo CNA

CNA participa de debate sobre os impactos da reforma tributária no agronegócio
Whats App Image 2020 07 03 at 09 24 50

Debate virtual foi promovido pelo Grupo de Estudos da Tributação no Agronegócio

3 de julho 2020
Por CNA

Brasília (03/07/2020) – A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) participou de um debate sobre os impactos da reforma tributária no agronegócio brasileiro na quinta (02).

O encontro, transmitido ao vivo, foi promovido pelo Grupo de Estudos da Tributação no Agronegócio (Geta). Os debatedores foram o coordenador do Núcleo Econômico da CNA, Renato Conchon, a advogada tributarista com atuação na PwC e Cargill e ex-integrante do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), Nereida Horta; e a advogada tributária da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Amanda Rezende.

Renato Conchon mostrou os cenários econômicos e fiscais na pós-pandemia. “A economia brasileira vai sair bastante machucada ao final desse processo e com isso, o endividamento público que hoje é de 91% em relação ao PIB, vai chegar a 100% em 2026 ou 2027. É um cenário fiscal ruim e com tendência a piorar”, disse.

Para o coordenador do Núcleo Econômico da CNA, é inegável a necessidade de uma reforma tributária no País, mas o modelo apresentado pela PEC 45/19, que tramita no Câmara dos Deputados, vai aumentar a carga tributária e trazer um impacto “substancial” para o setor agropecuário.

Conforme Renato, a proposta não considera as peculiaridades do setor, como a sazonalidade de safra. Pontos como a alíquota única afetarão as exportações agropecuárias e a obrigação do produtor rural pessoa física (98% dos produtores rurais) se tornar contribuinte do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) aumentará os gastos com impostos e custos para gerenciar o tributo.

“Não é racional a aplicabilidade na forma que se encontra a PEC 45 para os produtores rurais. O agro vai representar quase 24% do PIB em 2020. Uma reforma que onere e prejudique esse setor vai trazer um efeito devastador no crescimento da economia a longo prazo”, afirmou ele.

Outra mudança que impactará a população é a retirada da desoneração da cesta básica. De acordo com o economista da CNA, o setor agropecuário representou apenas 10% das desonerações tributárias concedidas pelo Governo, em 2019. Enquanto isso, aeronaves e embarcações, por exemplo, terão a redução garantida.

“Vamos cobrar mais tributos sobre alimentos, que vão subir de preço, e manter a desoneração para produtos de luxo? Teremos carne, leite, pão, arroz e feijão com a mesma carga tributária de supérfluos? A sociedade precisa debater isso”, declarou.

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419
 flickr.com/photos/canaldoprodutor
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
 youtube.com/agrofortebrasilforte