Pará

Sistema Faepa/Senar promove no Pará a 55º edição do Encontro Ruralista: "O Agro não para"

17 de junho 2021
Por CNA

Sistema Faepa/Senar  promove no Pará a 55º edição de seu encontro de líderes sindicais

O Sistema Faepa/Senar realizou ontem, 15 de junho, a 55º edição do Encontro Ruralista. O evento, que acontece duas vezes ao ano, ocorre em paralelo à Assembleia Geral Ordinária do Conselho de Representantes da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa), cuja pauta foi publicada no Diário Oficial do Estado do Pará. O encontro, realizado no auditório do Ed. Palácio da Agricultura, em Belém, com transmissão online para líderes sindicais do estado do Pará,  teve como tema “O Agro não para”. Na oportunidade,  presidentes de Sindicatos de Produtores Rurais, coordenadores de Núcleos Regionais, assessores técnicos sindicais, diretores, técnicos, palestrantes, autoridades e convidados, puderam acompanhar pautas relevantes para o setor produtivo rural.

Na composição da mesa inicial estiveram presentes o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa), Carlos Xavier, o vice-presidente da Faepa, Vilson Schuber, o diretor do Fundepec, Fernando Vasconcelos, o superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Walter Cardoso, o secretário Extraordinário de Produção do Estado do Pará, Giovanni Queiroz e o diretor da Faepa, Alfonso Rio.

Em consonância com a programação foi apresentado um vídeo referente ao “Manifesto CNA/Senar – Alimentar é Construir o Futuro”. Em seguida o diretor do Fundepec, Fernando Vasconcelos, apresentou a prestação de contas do exercício do ano de 2020.

Na sequência do evento, na segunda composição de mesa estiveram presentes o reitor da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Marcel Botelho, o presidente da Associação Comercial do Pará (ACP), Clóvis Carneiro, o presidente do Sindicato de Produtores Rurais de Soure, Hildegardo Nunes, a produtora rural e autora do livro “Eu sou Marajó”, Eva Abufaiat e o diretor das Fazendas Reunidas Aruãns, Leandro Daiher.

Em seguida, o presidente da Associação Comercial do Pará (ACP), Clóvis Carneiro, fez a leitura da moção referente ao atendimento de medidas no combate ao aumento de roubo de gado na região do Marajó.

A moção destinada ao Governo do Estado, a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), as polícias Civil e Militar e ao Ministério Público, pede o banimento das infrações no Marajó. Além disso, foi reiterada a necessidade de ações que combatam a situação preocupante mencionada na moção sobre o abatimento do gado roubado ou furtado não considerando as medidas sanitárias e colocando em risco quem consome o mesmo.

A programação seguiu com ênfase na região do Marajó enaltecendo o trabalho da autora do livro “Eu sou Marajó”, Eva Abufaiat, que autografou alguns exemplares por ocasião do evento. O presidente do Sindicato de Produtores Rurais de Soure, Hildegardo Nunes e o reitor da Ufra, Marcel Botelho enfatizaram a importância da escrita do livro sobre o Marajó em virtude da importância e do potencial da região para o Estado do Pará.

“Precisamos dar ênfase ao Marajó. Estamos trabalhando no Projeto Abrace o Marajó. Há também muitas ações sendo realizadas pela coordenação de Núcleo do Marajó. Estamos ainda com as tratativas e reuniões que visam a construção de pontes para facilitar o acesso ao Marajó com perspectiva de inauguração para o ano de 2025”, informou o presidente da Faepa, Carlos Xavier.

Eva Abufaiat enfatizou que o Encontro Ruralista está sendo um dos dias mais felizes da sua vida. “Lançar um livro é muito emocionante e eu tive todo o auxílio da Faepa. É um belíssimo trabalho atender a ajudar os produtores rurais. Neste dia também estou sendo elogiada pelos meus ex-alunos Hildegardo Nunes e Marcel Botelho, o que evidentemente é muito gratificante. A mensagem que deixo para os produtores rurais é que continuem lutando”, enfatizou.

Assinatura de decreto que institui valor de terra nua no Estado

O Governador do estado do Pará, Helder Barbalho, esteve presente no evento e assinou o decreto da resolução que institui a Tabela de Referência do Valor da Terra Nua (VTN) no Estado. De forma prática, a medida vai facilitar a regularização fundiária das propriedades rurais dos produtores paraenses, conforme a resolução nº 001, de 18 de março de 2021, do Conselho Estadual de Política Agrária e Fundiária do Pará (CEPAF).

“Temos dialogado para a construção de ações voltadas para o agro a fim de potencializar a construção do ambiente de investimento para o setor. O governo investe em parcerias com entidades que possuem legitimidade e capacidade para boa articulação política junto à gestão do Governo, como o Iterpa, Sedap, Emater, para desburocratizar e atender às demandas, então, fiz questão de assinar a resolução durante o encontro ruralista. O pequeno produtor precisa da atenção do Governo, o médio precisa de auxílio, e os grandes produtores de condições para efetivar as ações necessárias para o desenvolvimento do agro”, destacou o governador Helder Barbalho, durante o evento na Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa). Durante o discurso, o chefe do Executivo Estadual também informou que só este ano, o setor registrou cerca de cinco mil empregos, contemplando os 144 municípios paraenses.

Presidente do Instituto de Terras do Pará (Iterpa), Bruno Kono destacou que o processo de regularização fundiária precisa de apoio de produtores e entidade rurais para se estabelecer. Ele fez questão de ressaltar o atual trabalho do Iterpa neste sentido. "Se não tiver apoio do setor produtivo, que é uma agenda muito importante, que por tanto tempo ficou esquecida e não se entregava um serviço público de regularização fundiária, nós não tínhamos infraestrutura. Hoje o Iterpa tem estrutura para fazer o atendimento ao produtor rural, seja ele presencialmente ou qualquer lugar do Estado. Nosso próximo passo é fazer georreferenciamento por robô, não vamos ficar mais reféns do subjetivismo operacional, teremos mais regras e serão dinamizadas", disse o gestor.

Para o secretário de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Alfredo Verdelho Neto, o decreto assinado pelo Governo do Estado vai facilitar a vida dos produtores rurais. “O Valor da Terra Nua é um anseio antigo para quantificar o valor das terras sem dono, e o Estado dá um passo gigantesco para facilitar a regularização fundiária para o pequeno, médio e grande produtor”, pontuou ele, destacando as principais ações da Sedap no Pará.

Acompanhando o governador durante a agenda, o secretário Extraordinário de Produção do Pará, Giovanni Queiroz, disse que as novas tecnologias ajudam no processo de regularização fundiária. Ele também ressaltou a importância do VTN para os produtores rurais paraenses. "Não se alavanca a economia sem um primeiro passo, e o primeiro passo é a regularização fundiária, e isso me deixou feliz. Com as novas tecnologias divulgadas pelo Iterpa e Emater, temos essa facilidade. Em relação ao VTN, abre-se uma porta para o crédito, ou seja, para a produção e geração de emprego, renda e de qualidade de vida para o produtor rural. Essa ação vai libertar da pobreza de pessoas que vivem em cima de uma terra rica”, ressaltou.

O presidente da Faepa, Carlos Xavier enfatizou que “não tem porquê se cobrar uma taxa. A terra deve cumprir sua função social que é produzir, o que resultará no desenvolvimento do setor agrário e esse é o objetivo maior do Sistema Faepa/Senar”, destacou.

O deputado estadual Antônio Tonheiro disse que as entidades precisam agir para melhorar a vida da população. “O setor produtivo deve estar muito agradecido com o apoio realizado pelo Governador por meio da iniciativa de investir em ações para a regularização fundiária e que beneficiará o setor produtivo. Grande parte do que consumimos vem da agricultura familiar. Então é algo a ser considerado e respeitado”, avaliou.

O deputado Estadual, Igor Normando sinalizou que é complexa a função das medidas relacionadas à regularização fundiária. “O governador e os demais envolvidos na iniciativa realizam uma ação acertada em prol do setor agrário. Mesmo sendo um momento difícil, o trabalho não pode parar e nós jovens não podemos deixar de reconhecer essa grande iniciativa. Considero um momento histórico”, destacou.

 Assuntos Fundiários

Na continuidade das programações do 55° Encontro Ruralista, o diretor de Regularização Ambiental do Serviço Florestal Brasileiro/MAPA, João Adrien, falou sobre a “Análise Dinamizada do Cadastro Ambiental Rural- Estratégias para Avança a Análise do CAR”, na tarde desta terça-feira, 15, na sede da Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa).

O presidente da Faepa, Carlos Xavier deu inicio ao evento e a assessora Técnica da Faepa, Eliana Zacca deu prosseguimento e agradeceu a disponibilidade e boa vontade do palestrante João Adrien em esclarecer aos produtores rurais informações do “Cadastro Ambiental Dinamizado”.

“A analise dinamizada do cadastro ambiental rural é realizada em quatro etapas que compreendem o Cadastro Ambiental Rural que está finalizado. Agora estamos na análise dos cadastros que é realizada manualmente – no momento. Em seguida teremos a terceira etapa que é a regularização ambiental e em seguida o incentivo aos produtores”, explico o diretor de Regularização Ambiental do Serviço Florestal Brasileiro/MAPA, João Adrien.

Na ocasião o palestrante informou ainda que a expectativa é que o projeto seja realizado até o final deste ano no Estado do Pará. A assessora Técnica da Faepa, Eliana Zacca disse que “o que se pretende é que o produtor seja regularizado”, destacou.

Em seguida, o Coordenador Técnico Comissão de Assuntos Fundiários -CNA, José Henrique Pereira falou sobre “Regularização Fundiária em Terras da União: Projetos em Tramitação no Congresso Nacional”.

O palestrante aproveitou a oportunidade e divulgou que o Incra possui um programa denominado “Programa 600 do Mapa/Incra que tem o objetivo de promover a regularização fundiária dos móveis rurais localizados em glebas Públicas da União e Estaduais. Também tem como meta a emissão de 600 mil documentos titulatórios até 2022, assim como 300 mil destinados a projetos de assentamentos e o mesmo valor para áreas públicas.

“O trabalho de georreferenciamento é de extrema importância para os produtores rurais, pois dá uma perspectiva e celeridade as ações do setor agrário. O Incra lança também esse ano a plataforma de gestão e inteligência territorial”, informou.

Na sequência, o coordenador do NAE – Núcleo de Apoio Empresarial, coronel Mário Solano, falou sobre esbulho possessório e os técnicos do Iterpa realizaram uma apresentação do SICARFI – Tecnologia para Regularização Fundiária de Terras do Pará.

SENAR em ação

Os projetos em andamento do Senar e a evolução da Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) no estado do Pará foram apresentados pelo superintendente Walter Cardoso e pelo gerente regional da ATeG, Dácio Carvalho.

Em um ano atípico devido à pandemia de Covid-19 o Agro não parou e garantiu o alimento do campo à mesa. Durante todo o ano de 2020, o Sistema Faepa/Senar não mediu esforços para concretizar em ações efetivas que garantiram qualificação profissional, assistência técnica, realização de projetos e trabalho dos produtores rurais.

Apesar do número de alunos por turma ter sido reduzido, o Senar Pará atendeu 28.818 pessoas em 2020. Na área de Formação Profissional Rural (FPR) o Senar promoveu 1.772 treinamentos e capacitou 18.809 produtores e trabalhadores rurais nas atividades de agricultura, pecuária, agroindústria, aquicultura, extrativismo, silvicultura, e atividades de apoio agrossilvipastoril e de prestação de serviços. Já no setor de Promoção Social, foram realizados 604 eventos e 6.620 pessoas foram beneficiadas por ações voltadas à saúde, alimentação e nutrição, artesanato, educação e apoio às comunidades rurais.  Outras 3.389 pessoas foram atendidas pelas ações inovadoras de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), Formação Técnica (Curso Técnico em Agronegócio), Programas Especiais (Aprendizagem Rural) e pelo desenvolvimento de ações conjuntas com parceiros.

“Queremos um agro cada vez mais forte e participativo e acreditamos que as ações do Senar contribuem significativamente para a evolução do setor”, disse o superintendente Walter Cardoso.

Em 2020, o Programa de Assistência Técnica e Gerencial atendeu produtores nas cadeias produtivas da bovinocultura de leite, bovinocultura de corte, fruticultura, horticultura e apicultura/meliponicultura levando informações técnicas para o progresso das propriedades rurais com o intuito também de impulsionar o desenvolvimento econômico, social e sustentável.

“Somos recebidos de braços abertos nos municípios pelos quais já passamos e sabemos que as nossas ações vão agregar cada vez mais valor a rotina do produtor rural. É o Senar levando o futuro para o homem do campo”, comentou o gerente regional da ATeG, Dácio Carvalho.

O superintende do Senar  falou a respeito do Curso Técnico em Agronegócio – que atualmente conta com 10 polos no estado Pará, nos municípios de Almeirim, Capanema, Marabá, Moju, Paragominas, Santa Bárbara do Pará, Santa Izabel do Pará, Santarém, Ulianópolis e Xinguara. E do recém lançado Curso Técnico em Fruticultura, em 5 novos polos, nos municípios de Capitão Poço, Curuçá, Salvaterra, São Caetano de Odivelas e Tomé-Açu.

“Na área do ensino formal, o Senar dispõe de 10 polos formando técnicos na área de gestão do agronegócio. Também iniciamos processo seletivo com novo curso na área da fruticultura em 5 novos polos. Estamos convictos de que se não fosse o contexto de pandemia poderíamos fazer muito mais, e essa perspectiva que nos motiva para que esse ano consigamos superar as marcas registradas no ano passado”, informou.

Senar: Projetos em andamento

Educação a distância - A educação a distância no Senar tem o objetivo de desenvolver ações educacionais, principalmente envolvendo as tecnologias digitais, bem como apoiar às administrações regionais nas ofertas educativas cada vez mais alinhada com as mudanças tecnológicas da atualidade, mas não deixando de abranger tecnologias offline, tendo em vista algumas dificuldades de conexão no meio rural.

O portal de educação a distância do Senar é a ferramenta utilizada para a oferta da educação não formal, e que tem o intuito de contribuir com a formação e a profissionalização das pessoas do meio rural. Os cursos do EaD Senar de Formação Inicial e Continuada, estão organizados em 21 programas, totalizando atualmente 80 cursos gratuitos. No panorama provocado pela pandemia em 2020, as atividades presenciais foram reduzidas, aumentando consideravelmente a demanda por educação a distância. De janeiro a outubro foram disponibilizadas mais de 100 mil matrículas no portal EaD.

Saiba mais: http://ead.senar.org.br/

Coleção de Cartilhas - O Senar desenvolve, também, as cartilhas da coleção Senar para apoiar a formação profissional rural não formal. Esses recursos instrucionais são elaborados segundo metodologia preconizada pelo Senar e que tem por objetivo favorecer a aprendizagem adquirida, possibilitando o reforço e a consulta para a fixação do conteúdo ministrado nos cursos e treinamentos de FPR, PS e na Assistência Técnica e Gerencial.

A coleção Senar de cartilhas está disponível na Estante virtual, com mais de 170 títulos. É atualizada constantemente sempre que uma nova cartilha é lançada. No segundo semestre de 2019 até o início de novembro de 2020 foram realizados 444.001 downloads. Durante a pandemia foi perceptível o aumento significativo no número de downloads de cartilhas. Em média eram realizados 300 downloads dias e atualmente são em média 1.000 downloads dia.

Saiba mais: https://www.cnabrasil.org.br/senar/colecao-senar

Coleção de Vídeos - A Coleção Senar – Vídeos é um espaço de compartilhamento de informações para o produtor e trabalhador rural. Os diversos temas disponíveis perpassam pela Formação Profissional Rural (FPR), a Promoção Social (PS) e a Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), além de outros temáticas relevantes para o Setor Agropecuário. São informações técnicas, boas práticas e dicas que fazem a diferença na gestão e produtividade da propriedade rural. Os vídeos facilitam a compreensão dos temas, favorecem a aprendizagem e a adoção de ações que beneficiem a produção rural. Além disso, auxiliam na disseminação do conhecimento sobre o setor agropecuário e a atuação do Sistema CNA Senar para o produtor e trabalhador rural.

Saiba mais: https://www.cnabrasil.org.br/senar/colecao-senar/videos

1º Concurso de Vídeos Educativos da FPR e OS - Outro destaque em 2020, foi a realização do 1º Concurso de Vídeos Educativos da FPR e PS. O concurso foi destinado aos instrutores que atuam na Formação Profissional Rural e Promoção Social, com o objetivo de reconhecer os esforços dos educadores em proporcionar com criatividade informações qualificadas dentro de sua expertise profissional. A videoaula é uma forma de aprimorar as estratégias educativas tanto na educação a distância como no ensino presencial.  O Pará ficou entre os dez vencedores com o vídeo da instrutora Kamila Leão, sobre Divisão de colônias das abelhas sem ferrão (meliponicultura).

Confira:


CNA Jovem - O Programa Jovens Líderes do Agro – CNA Jovem é uma iniciativa estratégica do Sistema CNA/Senar que fomenta a liderança empreendedora e desafia a juventude a alcançar maior protagonismo no setor. Voltado para jovens com idade entre 22 e 30 anos, formação técnica ou superior e vínculo com o agro, o programa alia o desenvolvimento de competências de liderança com capacitação em técnicas de inovação de produzir um elenco de iniciativas com resolutividade para desafios do setor, além de proporcionar um grande desenvolvimento pessoal e profissional.

Na edição 2020-2021, o Programa inovou e se reestruturou, acrescentando etapas novas e uma sequencia de módulos e oficinas digitais como forma de aprofundar o desenvolvimento, sem as limitações envolvidas com a realização de apenas eventos presenciais, e assim preparar e selecionar melhor os jovens com maior potencial de liderança para propor soluções para os desafios do setor.

O CNA Jovem 2020-2021 está dividido em duas grandes fases, ao longo de dois anos. No ano de 2020, particularmente, todas as atividades foram sendo realizadas remotamente, desde a inscrição, que aconteceu pelo site oficial do CNA Jovem, até a fase de oficinas remotas cujo objetivo era selecionar os 80 jovens com maior potencial de liderança do país para a fase que acontecerá em 2021, cujo objetivo é criar iniciativas inovadoras para os problemas do agro.

Para esta segunda fase, três jovens do Pará estão entre os 80 finalistas representantes de todas as regiões brasileiras, são eles: Antônia Vanderlane Albuquerque da Costa, Breno Monteiro dos Santos e Quésia Sá Pavão.

Feira Segura - Idealizado pelo Sistema CNA/Senar, o projeto Feira Segura busca orientar produtores rurais, feirantes, autoridades estaduais e municipais a promoverem feiras livres, com segurança, reduzindo o risco de contágio pelo novo coronavírus. Para isso foi elaborado o Guia Feira Segura, documento que segue as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e visa orientar a realização de eventos destinados a comercialização de produtos alimentícios, nos sistemas convencional, e como uma inovação, também no formato Drive Thru, onde os consumidores fazem a compra sem sair do carro.

Em 2020, foram realizados mais de 5 eventos do Projeto Feira Segura, em Santa Bárbara, Itupiranga, Castanhal e Capanema. O Projeto Feira Segura promove treinamentos com os produtores rurais sobre os cuidados sanitários necessários, além de orientar a forma de embalar os produtos, que durante a feira são vendidos em quantidades padronizadas, tudo isso para evitar aglomeração dos clientes. Também é fornecido a cada produtor um kit contendo máscaras, luvas, camiseta, avental e álcool em gel.

O Projeto Feira Segura deixará um importante legado quanto aos cuidados com a manipulação e embalagem dos alimentos, das práticas de higiene pessoal e limpeza no ambiente das feiras, que permanecerão como objetivos do projeto em 2021. O modelo Drive Thru também se apresenta como uma boa opção em municípios com compradores mais exigentes, podendo ser uma alternativa de agregação de valor aos produtos do campo.

Saiba mais: https://cnabrasil.org.br/feira-segura

Escola Indústria Senar de Chocolate - A Escola Indústria Senar – Chocolate da Amêndoa à Barra é um projeto do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Pará (Senar-PA) em parceria com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) e o Governo do Estado do Pará, através da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e do Fundo de Desenvolvimento da Cacauicultura do Pará (Funcacau).

O projeto inovador e o primeiro do Senar em nível nacional, possibilitará a verticalização da produção de cacau no estado do Pará, atualmente o maior produtor brasileiro da amêndoa, através da geração de conhecimento, agregando valor ao cultivo do fruto e incentivando o produtor rural e empreendedores interessados em investir na fabricação de chocolates finos.

A iniciativa contempla a instalação de 5 escolas nos municípios de Altamira, Igarapé-Miri, Medicilândia, Tomé-Açu e Castanhal, e ainda, a implantação de uma unidade móvel para a produção de chocolate. Dentro dessa proposta, na Escola Indústria são promovidos cursos sobre o beneficiamento primário do cacau, fabricação do chocolate e empreendedorismo,  quando os participantes tem a oportunidade de compartilhar de aulas teóricas e práticas vivenciando o contato com maquinário para o aprendizado produção de chocolate fino.

Faepa 70 anos

Ao final do evento, o jornalista Walbert Monteiro e assessora técnica da Faepa, Eliana Zacca, apresentaram o projeto alusivo aos 70 anos da Faepa.