ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Mato Grosso do Sul

Produtividade e valor agregado ao coco é atrativo para cultivo em MS
Coco 220511 142424

11 de maio 2022
Por Senar

Já pensou em cultivar coco? Para quem pensava que coco é fruta que só do litoral, está muito enganado. É possível cultivar coqueiros em Mato Grosso do Sul. Se plantado em solo adequado, mais arenoso, menos argila e com profundidade, é possível produzir de 200 até 400 frutos por coqueiro ao ano. 

Basicamente todos os frutos consumidos no estado vem de fora. “O calor favorece o consumo que é muito bem aceito in natura. Tem mercado e os compradores pagam muito bem”, explica o instrutor Carlos Alberto Salgueiro da Cunha Rosa. 

A produtividade é um atrativo nesta atividade. Cada coqueiro pode produzir ao ano uma média de 200 frutos, sendo 15 cocos por cada cacho a cada trinta dias. 
De acordo com o instrutor, o coco exige alguns cuidados especiais. “Diferentemente de outras culturas, nesta o gotejamento não atende as necessidades da planta. Quando o coqueiro é jovem, é comum que tenha algumas doenças e na fase adulta o ácaro é bem frequente”. 

Cada muda tem um custo médio de 30 reais e a irrigação, fator mais importante nesta atividade, o custo por hectare pode ficar em torno de 50 mil reais. “A pulverização mensal é essencial e vai exigir equipamento que jogue água com altitude. Isso reforça que esta é uma cultura que precisa de água em abundância, preferencialmente com atomizador mecânico”, acrescenta. 

É possível agregar ainda mais valor se o produtor também comercializar o fruto. O preço de venda direto para o consumidor pode variar de R$ 5 a R$ 10, enquanto se for vendido para a indústria o valor é de R$ 1. 

O Senar Mato Grosso do Sul tem em seu portfólio o curso ‘Plantio e Manejo de Pomar – Coco’ que ensina gratuitamente as técnicas para se cultivar o fruto com eficiência. Acesse  senarms.org.br  e conheça todas as possibilidades.