ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Paraná

FAEP realiza live sobre Meio Ambiente com secretário estadual

Transmissão será às 14 horas no Facebook da federação

22 de abril 2020
Por CNA

Live meio ambiente

Na próxima sexta-feira, dia 24, a partir das 14 horas, no Facebook do Sistema FAEP/SENAR-PR, acontece uma transmissão ao vivo com o secretário de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, e a técnica do DTE do Sistema FAEP/SENAR-PR Carla Beck para falar sobre o Programa Descomplica Rural.

Criado no início de 2020, fruto de um profundo diálogo entre o governo e os atores do campo, este programa já está descomplicando a vida de muita gente, como o avicultor da reportagem abaixo:

Em dois dias, avicultor obtém licença ambiental para instalar painéis solares

Por meio do Sistema FAEP/SENAR-PR e do Sindicato Rural de Cianorte, produtor agiliza o processo que irá reduzir o custo de produção na atividade

“Quando os órgãos competentes falam a mesma língua, as peças começam a se encaixar”. A frase do produtor rural Diener Santana, de Cianorte, município na região Noroeste, define bem como a atuação do Sistema FAEP/SENAR-PR e dos sindicatos rurais junto aos diversos órgãos do governo estadual traz resultados práticos para o campo.

No caso específico de Santana, a contribuição veio por meio do Programa Descomplica Rural, lançado pelo governo do Paraná no início deste ano com o objetivo de desburocratizar os processos de licenciamento ambiental, agilizando o processo de emissão. A proposta contou com amplo apoio do Sistema FAEP/SENAR-PR, que participou, desde as discussões iniciais para a criação do programa até a promoção de eventos pelo interior do Paraná para divulgar a novidade entre os produtores.

Na propriedade de Santana, a avicultura é o carro-chefe, com três barracões onde consegue alojar até 55 mil aves. Esta atividade tem na energia elétrica um importante insumo, correspondendo a mais de 20% dos custos de produção em alguns casos. Por este motivo, o avicultor mirou o aproveitamento da energia fotovoltaica (solar) para reduzir custos.

“Morei no Japão sete anos e lá tive acesso a esta tecnologia [de geração fotovoltaica]. Há mais de 10 anos venho pesquisando. Porém, até pouco tempo atrás, o uso de painéis solares era inviável no Brasil. Era muito caro e não tinha incentivo. Hoje, isso mudou”, atenta Santana.

De fato, nos últimos anos uma série de fatores, como o aumento expressivo na tarifa de energia elétrica, tornaram a geração de energia solar uma opção atrativa para a família do campo. Tanto que no início deste ano, o Departamento Técnico Econômico (DTE) do Sistema FAEP/SENAR-PR produziu uma nota técnica indicando que o retorno do investimento nestes equipamentos ocorreria em sete anos, no caso da avicultura. O material também elencou dezenas de linhas de crédito para investimento em energia solar por parte dos produtores interessados.

Santana estava na reta final parta a instalação dos equipamentos quando surgiu um obstáculo que não estava no roteiro: a necessidade de licença ambiental para instalação dos painéis no nível do solo. “No caso da avicultura, a maioria dos sistemas fotovoltaicos é instalado em cima dos telhados dos aviários. Então, a [Companhia Elétrica do Paraná] Copel não pede a DLAE [Declaração de Dispensa de Licenciamento Ambiental Estadual]. Mas no meu caso foi pedido porque o meu sistema foi instalado no chão”, explica.

Por meio do Sindicato Rural de Cianorte, o avicultor recebeu a assistência do Sistema FAEP/SENAR-PR, que orientou o que fazer por meio do Programa Descomplica Rural. Assim, Santana obteve a dispensa do licenciamento de forma ágil. “Eu peguei um momento de transição, quando o programa saiu do papel e foi para o online. Mas quando a coisa engrenou foi questão de um dia e meio, algo que anteriormente eu imagino que levaria entre três e seis meses devido à burocracia”, avalia.

Com a instalação do novo medidor de energia da Copel já marcada, o objetivo do avicultor agora é zerar a conta de energia, cuja média mensal gira em torno de R$ 5 mil. “Com a instalação dos painéis, a expectativa é pagar apenas a taxa mínima da Copel”, ressalta. “Eu gero mais energia que eu preciso durante o dia. Assim eu ‘credito’ na Copel para consumi-la no período noturno. A expectativa é zerar a fatura no que se refere a gasto”, planeja o avicultor.