ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Mato Grosso

Entidades se reinventam para manter os serviços às pessoas com necessidades especiais
19062020031745

22 de junho 2020
Por Senar

Desde que começou a pandemia do coronavírus, sexta-feira é sempre um dia muito especial para os integrantes do Programa de Equoterapia, da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), de Lucas do Rio Verde. Com as aulas suspensas, a instituição envia todas as sextas-feiras atividades impressas e até vídeos para amenizar a saudade que os participantes sentem dos encontros presenciais. 

Adriana da Silva, de 40 anos, filha da dona de casa Vitória Martelli, é uma das alunas que fica feliz com a chegada do material. A mãe elogiou a iniciativa e diz que o envio das atividades melhorou muito o dia a dia da filha.

Vitória conta que quando uma pessoa especial não desenvolve nenhuma atividade, a irritação e o estresse aumentam. “Esta iniciativa foi muito boa, porque a Apae envia os vídeos online e traz as atividades para fazerem em casa. "Eles não estão tendo aula, mas também não estão parados”.

A fisioterapeuta do Programa, Lucimara de Paula, acrescenta que foi criado um grupo no  whatsapp  com os pais para o envio dos vídeos e interação. “Além disso, nos organizamos para levar até a casa dos participantes, as atividades impressas sobre o tema de cada aula”.

Ela diz ainda que já foram feitos vídeos sobre a limpeza dos animais, materiais de encilhamento, andadura dos cavalos e vários outros. “É uma forma de manter o contato dos participantes com a equoterapia”.

ENTREGA DE KITS –  Com o objetivo de apoiar as instituições que executam atendimentos gratuitos para a população carente, o Senar-MT desenvolve em parceria com os Sindicatos Rurais e parceiros o Programa de Equoterapia. A atividade oportuniza a interação entre pessoas com necessidades especiais e os cavalos. Além de kits, o Senar-MT também capacita os parceiros e apoia financeiramente as instituições.

No primeiro semestre de 2020, o Senar-MT em parceria com os Sindicatos Rurais entregou 29 kits para as instituições parceiras. Além disso, nos seis primeiros meses deste ano, respeitando todas as regras de combate e prevenção à pandemia, o Senar-MT registrou 3.096 atendimentos.

A renovação dos itens contribui para a manutenção de cada projeto. Cada kit contém seis mantas, três selas australianas e seis capacetes hípicos e foram distribuídos entre as instituições parceiras presentes em mais de 20 municípios do Estado. A cada dois anos uma equipe com representantes do Senar-MT e dos Sindicatos Rurais avalia os kits e planeja a substituição daqueles que apresentam desgastes.

Presidente da Associação Pestalozzi de Alto Taquari, Renata Turchetti, faz questão de destacar que os kits são fundamentais para a realização dos atendimentos. “São de excelente qualidade e muito importantes para proteção e segurança do participante”, afirma.