ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

São Paulo

Cursos de orgânicos unem diferentes gerações de produtores rurais
Organicos BANNER

Um dos maiores atrativos em relação aos programas oferecidos pelo SENAR-SP é a possibilidade de comercialização com preço de até 30% superior ao valor de mercado

13 de outubro 2022
Por Senar

Por: SENAR-SP

Fonte: Comunicação do Sistema FAESP/SENAR-SP

Os alimentos produzidos em sistema orgânico estão cada vez mais populares entre os consumidores e mais produtores estão apostando neste tipo de manejo. Esses fatores têm impulsionado a busca por cursos do Senar-SP neste segmento. Alguns Programas, lançados durante o período da pandemia, vem tendo grande procura, como o de Morango Orgânico, com 321 participantes, e o de Batata Orgânica, com 143 participantes em 2021.

Para os interessados neste segmento, a instituição disponibiliza cinco Programas: Olericultura Orgânica; Tomate Orgânico; Morango Orgânico, Batata Orgânica; e Cadastramento da Organização de Controle Social (OCS – grupo de produtores orgânicos) junto ao Mapa, para a venda direta. “A pandemia atrapalhou a realização dos programas em 2020 e 2021, mas estamos retomando agora em 2022”, diz Marco Antonio de Oliveira, chefe adjunto da Divisão de Formação Profissional Rural do Senar-SP.

Entre os participantes dos cursos, cresce sensivelmente a parcela dos produtores mais jovens, que assumem a propriedade da família e querem qualificação para melhor gerenciar o negócio. É o que nota Roseli Gouveia, coordenadora do SENAR-SP no Sindicato Rural de Amparo: “Aqui em nossa região, é nítido esse interesse dos jovens pelos cursos na área de orgânicos”. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 6,5 milhões de jovens entre 18 e 32 anos vivem no campo e essa geração está optando, cada vez mais, por continuar na atividade dos pais, segundo a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil). Eles não veem a propriedade com a simplicidade que, em geral, os pais viam; pelo contrário, vislumbram as perspectivas do empreendimento rural.

Cursos superaram as expectativas

O jovem produtor Luciano José Moraes, de Amparo, é um exemplo típico dessa geração. Ele gerencia o sítio Novo Horizonte juntamente com a família, que está na região há mais 100 anos, mas foi dele a ideia de partir para a produção orgânica de tomates. “Se não fossem os cursos do Senar-SP, eu teria mudado de profissão; estava seriamente pensando em fazer isso, em 2020. Sempre lidamos com horta, mas a situação havia chegado a um ponto que não estávamos mais fechando as contas. Foi então que busquei qualificação para iniciar o manejo orgânico e isso mudou a nossa história”, analisa. Ele cita que tem vários amigos, jovens produtores como ele, que também estão se beneficiando dos cursos do Senar-SP. “O primeiro módulo de que participei foi em 2020, de olericultura orgânica; no ano passado fiz o de tomate e, este ano, estou fazendo o de morango. Todos superaram minhas expectativas”.

Atuando no Senar-SP desde 1997, Roseli calcula que já disponibilizou mais de 20 cursos voltados à produção orgânica. “O que mais motiva os produtores jovens é a possibilidade de substituir os adubos químicos pelos naturais”, explica. Hoje o Brasil é o quarto consumidor mundial de fertilizantes químicos, segundo a ANDA (Associação Nacional da Difusão de Adubos). Mas essa dependência deve diminuir à medida que mais produtores investem nos orgânicos e decidem virar esse jogo. “Nós nos interessamos pelo sistema orgânico e hoje cultivamos por prazer. Hoje, usamos adubos 100% naturais e temos segurança em todo o manejo”, narra Luciano.

Funcionária da Fazenda Pedra Branca, também em Amparo, a jovem Aline Souza decidiu ingressar no curso de morango para conhecer melhor este universo mais saudável, pois já atuava com leite orgânico. “Eu não imaginava que havia fertilizante orgânico. Cuidar desde a preparação do solo e, ao final, poder colher morangos deliciosos, foi uma experiência incrível. Minha filha de seis anos se delicia com os morangos colhidos diretamente do pé, sem qualquer receio”. A coordenadora Roseli aponta que o Senar-SP está na vanguarda na área dos orgânicos, “pois o programa é muito completo e o fato de ele ser prático confere muita segurança para o produtor.”

Diminuição do custo da produção em 70%

A pesquisa “Panorama do Consumo de Orgânicos no Brasil”, realizada pela Associação de Promoção aos Orgânicos (Organis), apontou que o consumo desse tipo de alimento aumentou 240% entre 2019 e 2021, se comparado ao período entre 2017 e 2019. Entre os motivos apontados pelos consumidores para aderir à alimentação natural estão: melhora da saúde (47%), por serem mais saudáveis (26%), por não conterem agrotóxicos (13%) e pela melhor qualidade dos produtos (24%).

Não são apenas os que estão na ponta da cadeia alimentar que elencam as vantagens dos orgânicos. Para os produtores, os ganhos também são evidentes. Segundo Luciano, em menos de dois anos, ele saiu de uma plantação deficitária para uma lucrativa. “Como só utilizamos adubo orgânico e a pulverização é biológica, conseguimos diminuir o custo da produção em 70%.” Além disso, hoje o Sítio Novo Horizonte produz o ano todo, o que não ocorria antes. “Atualmente conseguimos aproveitar cerca de 100% da lavoura, pois as perdas representam menos de 5% do que tínhamos na produção convencional. Os cursos do SENAR-SP foram fundamentais para encontrarmos esse novo caminho”, destaca.

Para informações sobre cursos e programas do SENAR-SP, consulte o sindicato de sua região ou acesse faespsenar.com.br/cursos/