Central de Comunicação // CNA

28/06/2018

Fazendas referência na fabricação de lácteos e na produção de cafés especiais fecham programação do Agrobrazil

Grupo participante da viagem durante visita à Fazenda Bela Vista Grupo participante da viagem durante visita à Fazenda Bela Vista

Brasília (28/06/2018) – Depois de três dias conhecendo a produção de café e produtos lácteos em Minas Gerais, a terceira edição do Programa de Intercâmbio AgroBrazil, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), chegou ao final. O grupo formado por diplomatas de cinco países - México, Holanda, Coréia do Sul, Tailândia e França - visitou a Fazenda Bela Vista e a Monte Alto Coffees.

Um dos mais avançados centros de produção de leite tipo A do País, a Fazenda Bela Vista é referência em tecnologia, alto padrão genético e qualidade. Localizada nos municípios de Guaxupé (MG) e Tapiratiba (SP), a propriedade familiar tem um rebanho de duas mil vacas, que fornecem 65 mil litros/dia. Com instalações modernas e um sistema de produção totalmente automatizado, a empresa fabrica produtos como leites, queijos, iogurte e requeijão.

Galpão de ordenha da Fazenda Bela Vista 

“Existe uma ideia muito errada de que a agricultura no Brasil não é sustentável. Esse intercâmbio ajuda a mudar essa imagem e a trocar experiências. Também é muito importante para o empresário brasileiro ter contato com outros países. Isso pode gerar negócios no futuro”, afirmou a diretora da Fazenda Bela Vista, Flavia Barbosa Paulino da Costa.

A última parada da comitiva foi na Monte Alto Coffees, uma das fazendas mais tradicionais da região sul de Minas Gerais na produção de cafés especiais. Com 250 hectares de plantações localizadas em uma área montanhosa com altas altitudes, a propriedade produz e exporta variedades de cafés reconhecidas pela qualidade com sustentabilidade. Hoje, a fazenda é administrada pela 7ª geração da família, que chegou na região em 1830 e teve como membro o Barão de Guaxupé.

“É a possibilidade de mostrar in loco, para os representantes de outros países, que nós conseguimos fazer um café de alta qualidade respeitando as práticas ambientais. É uma mudança de patamar para nós e uma oportunidade única para apresentarmos, com clareza, a maneira que nós trabalhamos,” declarou o diretor da Monte Alto Coffees, Rafael Ribeiro do Valle.

Sede da Monte Alto Coffees

Sucesso - Para a superintendente de Relações Internacionais da CNA, Lígia Dutra, as propriedades visitadas conseguiram demonstrar a preocupação existente com a sustentabilidade na produção, algo que nem sempre é divulgado para quem está fora do Brasil. Ela também destacou a aproximação gerada entre os produtores rurais e os diplomatas.

“Vários deles já estão com os contatos dos produtores e combinando missões futuras. O saldo geral é muito positivo. Conseguimos mostrar a nossa produção e criar uma  proximidade dessas embaixadas com os nossos produtores. É isso que vai gerar os negócios”, avaliou Lígia Dutra.

Na opinião do assessor técnico da CNA e especialista em cafés Maciel Silva, a programação possibilitou que os estrangeiros conhecessem diversos sistemas de produção, desde pequenos produtores até modelos de agricultura empresarial. Outro ponto que eles puderam observar foi o nível tecnológico existente na produção de café, que permite cultivar um fruto de alta qualidade com sustentabilidade, independente da região ou do tamanho da área.

“Essas pessoas poderão reportar, quando voltarem para os seus países ou quando algum acordo vier a ocorrer, sobre como realmente funciona a cafeicultura aqui e que nós temos um café que pode ser exportado para qualquer país”, disse Silva.

Gerardus Rikken (centro)

O conselheiro agrícola da Embaixada da Holanda no Brasil, Gerarduas Albertus Rikken, foi um dos participantes que ficou impressionado com o que viu. Com longa experiência na área, ele elogiou o desenvolvimento da agropecuária mineira e o esforço dos produtores em aumentar a produtividade com inovação e preservação do meio ambiente.

“A Holanda é um país muito pequeno geograficamente, mas somos o segundo maior exportador de produtos agropecuários do mundo. Também temos um nível de produtividade duas vezes mais alto que o mundial, além de muito conhecimento sobre todas as cadeias agropecuárias. Você pode imaginar que níveis grandes poderíamos alcançar se combinarmos o conhecimento que temos com os produtores e o espaço que tem no Brasil?”, questionou.

AgroBrazil - O Programa busca aproximar produtores rurais brasileiros e os representantes de delegações estrangeiras no Brasil. O objetivo é apresentar a realidade da produção agropecuária brasileira e as ações e técnicas que a tornaram o principal setor da economia nacional. Nas duas edições anteriores, os participantes conheceram a fruticultura na região do Vale do São Francisco e a pecuária de corte e produção de grãos em Mato Grosso do Sul.

Comitiva conheceu ações sustentáveis da Monte Alto Coffees 

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor 
cnabrasil.org.br
senar.org.br
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil

Veja também